A ORDEM DE CLÁUSULAS HIPOTÁTICAS ADVERBIAIS TEMPORAIS NO ESPANHOL MEXICANO ORAL E SUAS MOTIVAÇÕES DISCURSIVAS, SEMÂNTICAS E SOCIAIS

Sávio André de Souza Cavalcante

Resumo


Objetivamos analisar, no Corpus Sociolinguístico de la Ciudad de México (CSCM), as motivações para a ordem variável (anteposição, intercalação e posposição) das orações temporais, sob aporte da sociolinguística variacionista (LABOV, 1978, 1983[1972], 1994, 2001) e do funcionalismo linguístico (HAIMAN; THOMPSON, 1984; HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2014 [1985]; DECAT, 2001; GIVÓN, 2001). Os procedimentos metodológicos envolvem coleta, codificação e análise estatística (software GOLDVARB) (GUY; ZILLES, 2007), considerando-se as variáveis relações lógico-semânticas, funções textual-discursivas, idade e escolaridade do falante. Os resultados de 595 ocorrências apontam preferência pela anteposição (57.6%), condicionada (versus a posposição) por guia (peso 0.966), motivo (0.636), condição (0.572), escolaridade baixa (0.618) e média (0.532). Oposta à intercalação, nenhum fator foi selecionado. Quanto à posposição, são significativos, em oposição à anteposição, os fatores tempo (0.582), concessão (0.552), avaliação (0.993), moldura (0.901), figura (0.727) e escolaridade alta (0.643); em oposição à intercalação, avaliação (0.961), moldura (0.746) e escolaridade alta (0.643). Já a intercalação (versus a posposição) é condicionada pelas variáveis guia (0.988), figura (0.515), escolaridade baixa (0.629) e média (0.546), mas, oposta à anteposição, nenhum fator foi selecionado. Percebe-se que as orações antepostas servem para guiar o ouvinte, e as pospostas, para emoldurar eventos ou expressar avaliações.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.