RELATIVAS DE GERÚNDIO NO PORTUGUÊS BRASILEIRO: UMA ANÁLISE FUNCIONAL

Laíza Teixeria Delatorre

Resumo


Este estudo objetiva apresentar alguns questionamentos sobre a função do gerúndio nas orações relativas (adjetivas) restritivas e apositivas no português escrito brasileiro. Tem como objetivos identificar propriedades sintático-semânticas dessas orações e apontar alguns aspectos que expliquem a forma ‘independente’ das orações relativas apositivas de gerúndio. O suporte teórico desta pesquisa é a Linguística Funcional Centrada no Uso (LFCU), a qual agrupa pressupostos teórico- metodológicos de autores como Givón (1995), Decat (2001), Oliveira (2001), Bybee (2010), Traugott (2011), Rosário (2016), entre outros. Em termos metodológicos, utilizam-se dados da língua portuguesa, extraídos do corpus sincrônico do Português Brasileiro, referente ao século XXI. Esta pesquisa é de caráter quantitativo e qualitativo, com ênfase nesta última modalidade. Foram analisados 100 dados. Quanto aos resultados, a pesquisa mostrou que o uso do gerúndio em orações relativas é bastante produtivo na escrita, e que as orações relativas apositivas podem ser caracterizadas como estruturas mais autônomas, apresentando maior independência semântica, exibindo assim, um processo de mudança rumo à sua gramaticalização.

Palavras-chave: Gerúndio; Oração Relativa; Aposição.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.