Da devoção à violência a atribuição da mentira como estratégia de discurso na Guerra Guaranítica

Rafael Cezar Tavares

Resumo


Os conflitos que se desenvolveram na região do Prata e culminaram na Guerra Guaranítica, em decorrência do Tratado de Madrid de 1750, assumiram causas e efeitos simultaneamente locais e globais. Neste artigo, procura-se realizar uma análise de discurso que privilegia a percepção dos atores históricos envolvidos nos acontecimentos, adotando como objeto de análise a estratégia da atribuição da mentira a um determinado grupo. Esta retórica foi utilizada por ambos os lados conflitantes e demonstrou razoável eficiência na mobilização de afetos, tanto para fortalecer identidades quanto para canalizar a violência contra o inimigo. São analisados três grupos de fontes: as cartas dos Guarani enviadas aos funcionários coloniais na iminência do enfrentamento; o relatório pombalino escrito já ao fim dos conflitos; e a novela de Voltaire, Cândido, em que o protagonista visita o Paraguai no contexto da Guerra..

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.