“Vou falar a verdade”: A produção das identidades sociais nos contextos de Audiências Públicas.

Sandro José Silva

Resumo


Este texto procura analisar do ponto de vista etnográfico uma Audiência Pública protagonizada pelo Ministério Público Federal (MPF) na cidade de São Mateus, Norte do Espírito Santo, cujo tema foi a regularização dos territórios quilombolas no Espírito Santo. A partir da conjuntura da aplicação do artigo 68 da Constituição Federal e do Decreto 4887/2003 entre os quilombolas no estado, as práticas ordinárias do MPF e o posicionamento dos agentes durante a referida Audiência Pública, busco descrever os significados da produção da justiça em tais contextos e como eles são percebidos pelos que dela tomaram parte.

Palavras-chave


quilombos, justiça, ministério público, espírito santo (estado)

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. 2000. Os quilombos e as novas etnias. Revista Palmares, Brasília.

ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. 2005. Os quilombos e o mercado de terras. PO-RANTIM Ano XXVI. No. 272. Brasília-DF.

ARRUTI, José Maurício Andion. 1997. A emergência dos "remanescentes": notas para o diálogo entre indígenas e quilombolas. Mana vol.3 n.2 Rio de Janeiro.

ABA: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA. 1995. Terra de Quilom-bos. Rio de Janeiro: Decania CFCH/UFRJ.

AUDIÊNCIA PÚBLICA. 2008. Ministério Público Federal. São Mateus. Vídeo/cor. Dur. 125min.

BAPTISTA, Bárbara Gomes Lupetti. 2008. A oralidade processual e a construção da verdade jurídica. Revista da SJRJ, Rio de Janeiro, n. 23.

BARTH, Fredrik. 2000. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria.

BOURDIEU, P. 1989. O poder simbólico. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro.

CONSTITUIÇÃO FEDERAL. 1988. Artigo 68 ADCT.

COSTA, Sérgio. 2002. A Construção Sociológica da Raça no Brasil. Estudos Afro-Asiáticos, Ano 24, nº 1.

ERIKSEN, Thomas Hylland. 1993. Ethinicity and nationalism. Pluto Press, Lon-don/Chicago. Illinois.

FERREIRA, Simone Batista. 2009. “Donos do lugar”: a territorialidade quilombola do Sapê do Norte – ES. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Geo-grafia da Universidade Federal Fluminense, como requisito para obtenção do grau de Doutora em Geografia.

FOUCAULT, Michael. 1999. A verdade e as formas jurídicas. NAU Ed. Rio de Janeiro.

LIMA, Antônio Carlos de Sousa. 1995. Um grande cerco de paz. Vozes, Rio de Janeiro.

MATTOS, Hebe. 2006. Remanescentes das Comunidades dos Quilombos: memória do cativeiro e políticas de reparação no Brasil. Revista USP, n. 68.

MAIO, Marco Chor. 1999. O projeto UNESCO e a agenda das ciências sociais no brasil dos anos 40 e 50. RBCS. Vol. 14 no 41.

NADER, Laura. 1996. Conferência da XIX Reunião Brasileira de Antropologia. Dispo-nível em: http://www.anpocs.org.br/

O’DWYER, Eliane Cantarino. 2005a. Laudos antropológicos. Pesquisa aplicada ou exercício profissional da disciplina? In: Leite, Ilka Boaventura (org.) Laudos pe-riciais antropológicos em debate. ABA/NUER. Brasília/Santa Catarina.

OLIVEIRA, João Pacheco de. 1999. A viajem de volta. Contracapa, Rio de Janeiro.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Decreto 4887/2003. Brasília, 2003.

SILVA, Sandro José da. 2006. Quilombolas no Espírito Santo: identidade e territoriali-dade. Dimensões, Revista de História da UFES. N. 18, PPGHis/UFES. Vitória.

SILVA, Sandro José da. 2012. Do fundo daqui: luta política e identidade quilombola no Espírito Santo. Tese (Doutorado) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Antropologia.

SLENES, Robert. 2006. “A árvore de Nsanda transplantada: cultos Kongo de aflição e identidade escrava no Sudeste brasileiro (século XIX)”, in Douglas Cole Libby e Júnia Ferreira Furtado (orgs.), Trabalho livre, trabalho escravo: Brasil e Europa, séculos XVII e XIX. São Paulo: Annablume.

DAS, Veena & POLE, Debora. 2008. El estado y sus márgenes. Etnografías comparadas. Cuadernos de Antropología Social, núm. 27. Universidad de Buenos Aires Argentina.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu15i2.p323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Confluencias



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base