A Central Disque-Denúncia e sua relação com as Polícias (ou os policiais) cariocas

Luciane Patricio

Resumo


O presente artigo busca recuperar parte das discussões feitas no trabalho “Disque-Denúncia: a arma do cidadão”- Um estudo sobre os processos de construção da verdade a partir das experiências da Central Disque-Denúncia do Rio de Janeiro, dissertação de mestrado defendida em 2006 pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) da Universidade Federal Fluminense. Passados 11 anos da publicação original (e 22 anos da criação da Central), o Disque-Denúncia segue em funcionamento. Para os objetivos propostos no presente artigo busca-se compreender como se dá a relação entre a Central Disque-Denúncia e as Polícias do Rio de Janeiro. Sendo a informação anônima recebida pela Central uma “ferramenta-meio”, ou seja, um dado que demanda ser confirmado, investigado, conferido e/ou rejeitado, o funcionamento da Central depende de forma indispensável dos órgãos encarregados de checar as informações recebidas e, sobretudo da relação (mais ou menos institucionalizada, mais ou menos pessoalizada) estabelecida entre os profissionais do Disque-Denúncia e órgãos policiais que fazem uso dessa fonte de dados.


Palavras-chave


Disque-Denúncia; Segurança Pública; Políticas Públicas

Texto completo:

PDF EPUB

Referências


DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro, Zahar, 1979.

________________. A Casa e a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. São Paulo.: Brasiliense, 1985.

DORNELLES, J.R.W. Conflito e Segurança. Entre Pombos e Falcões. Edição 1a. Lumen Juris. Rio de Janeiro. 2003.

DURKHEIM, Émile. “Representações individuais e representações coletivas” (1898) In Sociologia e Filosofia. Rio de Janeiro, Forense, pp. 13-42, 1970.

DURKHEIM, E. & MAUSS, M. Algumas formas primitivas de classificação” in: Marcel Mauss. Ensaios de Sociologia. Ed. Perspectiva, 1981.

KANT DE LIMA, Roberto. A cultura jurídica e as práticas policiais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 10, vol.4, 1989.

_______________. Tradição inquisitorial no Brasil, da colônia à República. In: Religião e Sociedade. Rio de Janeiro: ISER, 1992.

_______________.A Polícia da Cidade do Rio de Janeiro. Seus Dilemas e Paradoxos. Rio de Janeiro, Editora Forense, 1995.

_______________. A administração dos conflitos no Brasil: a lógica da punição. In: Velho, Gilberto & Alvito, Marcos, (orgs.), Cidadania e violência. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ/ Ed. da FGV, 1996.

_______________. Polícia e exclusão na cultura judiciária. Tempo Social, São Paulo, vol. 9 n. 1, 1997.

_______________. Polícia, justiça e sociedade no Brasil: uma abordagem comparativa dos modelos de administração de conflitos no espaço público. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, 13: 22-38, nov, 1999.

_______________. Carnavais, malandros e heróis: o dilema brasileiro do espaço público. In: O Brasil não é para principiantes. Rio de Janeiro, 2000.

_______________. Espaço Público, sistemas de controle social e práticas policiais: O caso brasileiro em uma perspectiva comparada. In: Direitos Humanos, temas e perspectivas. Mauad. Rio de Janeiro, 2001.

_______________. Tradição inquisitorial no Brasil contemporâneo: a incessante busca da “verdade real”. (mimeo)

_______________. Direitos Civis, Estado de Direito e “cultura policial: A formação policial em questão. IBCCRIM (mimeo)

LAGE, Lana. O tribunal do Santo Ofício da Inquisição: o suspeito é o culpado. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, 13, 17-21, Nov, 1999.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva: forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. Sociologia e Antropologia. São Paulo, Cosac & Naify, 2003.

MISSE, Michel. Cinco teses equivocadas sobre a criminalidade urbana no Brasil: uma abordagem crítica, acompanhada de sugestões para uma agenda de pesquisas. Série Estudos, Rio de Janeiro, IUPERJ, n. 91, 1995.

_______________. "Crime e Pobreza: Velhos Enfoques, Novos Problemas". O Brasil na virada do século. VILLAS-BOAS, G. E GONÇALVES, M.A. (orgs.). Rio de Janeiro. Relume & Dumará, 1995.

_______________. Sobre a sociabilidade violenta. Notas sobre hipóteses de Machado da Silva, 1996.

_______________. Malandros, marginais e vagabundos e a acumulação social da violência no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em ciências humanas: sociologia). IUPERJ. Rio de Janeiro, 1999.

MISSE, Michel; VARGAS, Joana D.; COSTA, A. T.; RATTON, J. L.; AZEVEDO, R. G. (Orgs.). O Inquérito Policial no Brasil. Uma pesquisa empírica. 1. ed. Rio de Janeiro: Booklink, 2010.

MORAES, Luciane Patricio Braga de. Imagens do Caos - Percepções de ordem e segurança pública a partir das experiências da Central Disque-Denúncia do Rio de Janeiro. Monografia de Pós Graduação em Políticas Públicas de Justiça Criminal e Segurança Pública, UFF, 2000.

______________. Disque-Denúncia: a arma do cidadão – um estudo sobre os processos de construção da verdade a partir das experiências da Central Disque-Denúncia do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós Graduação em Antropologia, UFF, 2006.

MUNIZ, Jacqueline de O. Monitoramento da Central Disque Denúncia (relatório). Rio de Janeiro, NPE/ISER, abril de 1996.

_______________. Central Disque-Denúncia no Rio de Janeiro. Relatório do Seminário do Nordeste sobre Segurança, Justiça e Cidadania. Recife, 1997.

TEIXEIRA MENDES, Regina Lúcia. Do princípio do Livre Convencimento Motivado. Legislação, Doutrina e interpretação de Juízes brasileiros. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2012.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu19i1.p502

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base