O encarceramento feminino Uma história de vida de uma detenta do presídio Nilza da Silva Santos

Maria Luiza Lacerda Carvalhido

Resumo


O presente artigo é um desdobramento da dissertação de mestrado em Sociologia Política apresentado à Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro no ano de 2016 e tratará da história de vida de uma detenta do presídio feminino Nilza da Silva Santos, localizado em Campos dos Goytacazes. Esse presídio é o único presídio feminino no norte e noroeste fluminense. Através da metodologia de história de vida com abordagem qualitativa, pretende-se compartilhar a experiência dessa mulher no cárcere, com a intenção de contribuir para o debate da criminalidade feminina e a visibilidade das mesmas. 


Palavras-chave


história de vida; mulher; encarceramento

Texto completo:

PDF EPUB

Referências


ALMEIDA, Rosemary de Oliveira. Mulheres que matam: Universo imaginário do crime feminino. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001. UFRJ: Núcleo de Antropologia da política.

ASSIS, Simone Gonçalves de; CONSTANTINO, Patrícia. Filhas do mundo: infração juvenil no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2000. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2015.

AZEVEDO, Maria Helena Petrucci Rangel de. Controle e resistência em uma penitenciária feminina: o caso do Talavera Bruce. 2010. 238 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

BAHIA, Joana. Estrangeiras na prisão: o cotidiano das mulheres presas no Brasil. Sociedad y Discurso: Universidad de Aalborg, Dinamarca, v. 23, p.60-77, 2012. ISSN 1601-1686.

BECKER, Howard - A história de vida e o mosaico científico, Métodos de pesquisa em ciências sociais, São Paulo: Hucitec, 1993, p. 101-116.

CENTRO PELA JUSTIÇA E PELO DIREITO INTERNACIONAL (Brasil). Relatório sobre mulheres encarceradas. 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2017.

CHIES, Luiz Antônio Bogo. Cemitério dos vivos: análise sociológica de uma prisão de mulheres: LEMBRUGER, Julita. 2º ed., Rio de Janeiro: Forense, 1999. Sociologias, Porto Alegre, v. 13, n. 7, p.338-345, jan/jun 2005.

FREITAS, Carolina. Guerra às drogas. O sexo obscurizado nos processos de criminalização da pobreza. [S.1]: PUCVIVA, 2010. Ano 11, n. 39.

LUXEMBURGO, Rosa . O Estado Patriarcal e o Estado Penal: filhos do mesmo homem. [S.l.]: PUCVIVA, 2010. Ano 11. n. 39.

PERRUCI, M. F. A. Mulheres encarceradas. São Paulo: Global, 1983.

OLIVEIRA, Rayane Noronha. Mulheres, crime e sexualidade. Brasília: Universidade de Brasília, 2012. Pesquisa do Programa de Iniciação Científica CNPq - ProIC/DDP/UnB.

RINALDI, Alessandra de Andrade. Violência e gênero – A construção da mulher como vítima e seus reflexos no Poder Judiciário: a lei Maria da Penha como um caso exemplar. 2007. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2015.

SOARES, Bárbara Musumeci; ILGENFRITZ, Iara. Prisioneiras vida e violência atrás das grades. Rio de Janeiro: Garamond Ltda, 2002. 152 p. Disponível em: .

SOUZA, Kátia Ovídia José de. A pouca visibilidade da mulher no tráfico de drogas. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 4, p.649-657, dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2015.Acesso em: 21 mar. 2015.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu19i1.p507

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base