DESAFIOS DA AJUDA HUMANITÁRIA INTERNACIONAL: DIREITO DAS VÍTIMAS E DEVER DOS ESTADOS

Leila Bijos, Gabriela Mendes Silva

Resumo


A ajuda humanitária decorre do direito internacional humanitário como um dever de solidariedade imposto aos Estados. Destaca-se o contexto histórico dos direitos humanos e as normas internacionais sobre o auxílio humanitário, bem como a atuação da ONU e do CICV junto aos Estados como fortes atores humanitários. O Brasil exerce a cooperação internacional por meio de projetos desenvolvidos em outras nações para reconstruir regiões atingidas por catástrofes naturais, adotando medidas de proteção em favor das vítimas, como a Operação de Paz Centro Africana, que contou com uma coordenadora brasileira. Do ponto de vista do direito internacional, embora a soberania dos Estados seja um princípio basilar nas relações internacionais, sua aplicação irrestrita não pode servir como supedâneo para a negativa de ajuda humanitária por parte dos Estados, objeto desta pesquisa qualitativa.


Palavras-chave


Ambiente operacional e sociopolítico. Ajuda humanitária internacional. ONU.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL JÚNIOR, Alberto do. 1985. Curso de Direito Internacional Público. 3 ed. São Paulo: Atlas.

AMARAL JÚNIOR, Alberto do. 2003. O direito de assistência humanitária. Rio de Janeiro: Renovar.

AMARAL JÚNIOR, Alberto do; JUBILUT, Liliana Lyra. 2009. O STF e o direito internacional dos direitos humanos. São Paulo: Quartier Latin.

ARENDT, Hannah. 2007. A condição humana. 10 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

BIJOS, Leila. 2015. Deslocamentos forçados por questões ambientais: Haitianos no Brasil. Revista Terceiro Setor e Tributação. (Coordenação José Eduardo Sabo Paes) Volume 7, Rio de Janeiro: Forense, p. 111-135.

BIJOS, Leila. 2013. O direito internacional e o refúgio político. Revista CEJ, Brasília, Ano XVII, n. 61, p. 17-26, set./dez. 2013.

BIJOS, Leila Maria; CAÇADOR, Manuela Beatriz Ferreira. 2014. Proteção internacional aos refugiados: o caso da Somália. Revista Direitos Humanos Fundamentais, Osasco, jul-dez/2014, ano 14, n.2

BOBBIO, Norberto. 2004. A era dos direitos. 6 ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

BRASIL. Agência Brasileira de Cooperação. Projetos no Haiti. Disponível em: < http://www.abc.gov.br/projetos/cooperacaosulsul/haiti>. Acesso em: 26/06/2019.

BRASIL. Associação de Jovens – ONU. Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários - United Nations Office for the Coordination of Humanitarian Affairs (UNOCHA). Disponível em: . Acesso em: 20/06/2017.

BRASIL. Gabinete de Documentação e Direito Comparado. Colecção Fichas Informativas Sobre Direitos Humanos. Direito Internacional Humanitário e Direitos Humanos. Vol 13. Disponível em: . Acesso em: 20/06/2019.

BRASIL. International Committee of the Red Cross. Disponível em: . Acesso em: 15/06/2019.

BRASIL. International Committee of the Red Cross. Convenções de Genebra. Disponível em: < https://www.icrc.org/pt/publication/convencoes-de-genebra-de-12-de-agosto-de-1949>. Acesso em 20/06/2019.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Ações da cooperação humanitária brasileira. Disponível em: . Acesso em: 25/06/2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. 2014. Cooperação de Saúde no Haiti Quatro Anos de Construção. 1 ed. Brasília. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio_Haiti_pt.pdf>. Acesso em: 26/06/2019.

BRASIL. Nações Unidas no Brasil (ONUBR). Brasil encerra atividade militar no Haiti nesta quinta-feira (31). Disponível em: < https://nacoesunidas.org/brasil-encerra-atividade-militar-no-haiti-nesta-quinta-feira-31/>. Acesso em: 25/06/2017.

BRASIL. Nações Unidas no Brasil (ONUBR). Carta das Nações Unidas. Disponível em: < https://nacoesunidas.org/carta/>. Acesso em: 20/06/2019.

BRASIL. Nações Unidas no Brasil (ONUBR). Declaração Universal dos Direitos do Homem, de 10 de dezembro de 1948. Disponível em: . Acesso em: 15/06/ 2019.

BRASIL. Nações Unidas no Brasil (ONUBR). Resolução 43/131. Disponível em: . Acesso em: 20/06/2019.

DEYRA, Michel. 2001. Direito Internacional Humanitário. Procuradoria Geral da República-Gabinete de Documentação e Direito Comparado. Disponível em: . Acesso em: 20/06/2019.

FERREIRA, Jaqueline; SCHUCH, Patrícia. 2010. Direitos e ajuda humanitária: perspectivas sobre família, gênero e saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

JUBILUT, Liliana Lyra. 2008. A “responsabilidade de proteger” é uma mudança real para as intervenções humanitárias? Revista Eletrônica de Direito Internacional, Disponível em:

http://centrodireitointernacional.com.br/static/revistaeletronica/artigos/Liliana%20Jubilut%20DIH.pdf. Acesso em: 20/06/2019.

KELSEN, Hans; CAMPAGNOLO, Umberto. 2002. Direito internacional e Estado soberano. São Paulo: Martins Fontes.

MAZZUOLI, Valério de Oliveira. 2011. Curso de Direito Internacional Público. 5. ed. at. e ampl. São Paulo: RT.

PIOVESAN, Flávia Cristina. Direitos Humanos e justiça internacional: um estudo comparativo dos sistemas regionais europeu, interamericano e africano. 6 ed. rev., ampl, e atual. São Paulo: Saraiva, 2015.

PIOVESAN, Flávia Cristina. 2013. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. 14. ed., rev. e atual. São Paulo: Saraiva.

SANTOS, Boaventura de Sousa. 2001. Uma concepção multicultural de direitos humanos. In.: Contexto Internacional, nº 23. Disponível em:< http://www.boaventuradesousasantos.pt/media/pdfs/Concepcao_multicultural_direitos_humanos_ContextoInternacional01.PDF>. Acesso em: 19/07/2019.

SWINARSKI, Cristophe 1996. Introdução ao Direito Internacional Humanitário. Brasília: Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. 2003. Tratado de Direito Internacional dos Direitos Humanos. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu.v21i3.34695

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base