Prática do selfie: experiência e intimidade no cotidiano fotográfico

Leonardo Pastor

Resumo


Busca-se neste trabalho produzir uma investigação inicial das práticas atuais e cotidianas do selfie que, em meio às mediações dos dispositivos digitais, inserem-se em uma cultura contemporânea de interação, compartilhamento e comunicação. Tal perspectiva é aqui relacionada com a antropologia filosófica desenvolvida por Bruno Latour (2012b) e com a teoria das esferas de Peter Sloterdijk (2011). Desenvolvemos uma investigação empírica das práticas atuais do selfie, a partir de entrevistas com pessoas que estão habituadas a utilizar o smartphone para fotografar. Se pensado enquanto prática, o selfie exibe sua complexidade, suas diversas experiências de facialidade em uma multiplicação e disseminação intensa de imagens.


Palavras-chave


fotografia; selfie; experiência

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


GUNTHERT, André. La consécration du selfie. Études photographiques, n. 32, jul. 2015.

HALPERN, Daniel; VALENZUELA, Sebastián; KATZ, James E. “Selfie-ists” or “Narci-selfiers”?: A cross-lagged panel analysis of selfie taking and narcissism. In: Personality and Individual Differences, v. 97, p. 98–101, 2016.

HESS, Aaron. The Selfie Assemblage. In: International Journal of Communication, v. 9, p. 18, 2015.

JAMES, William. Pragmatismo e outros textos. Coleção os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

LASÉN, Amparo. Digital Self-Portraits: Exposure and the Modulation of Intimacy. In: CARVALHEIRO, José; TELLERIA, Ana (Org). Mobile and Digital Communication: Approaches to Public and Private. Covilhã: LABCOM, 2015.

LATOUR, Bruno. Spheres and Networks. Two ways to reinterpret globalization. Harvard Design Magazine, n. 30, p. 138-144, 2009.

______. Reagregando o social. Uma introdução à teoria do Ator-Rede. Salvador-Bauru: EDUFBA-EDUSC, 2012a.

PASTOR, Leonardo. Processo fotográfico: automatismo e retorno ao manual na prática da fotografia através do smartphone. f.223. 2016. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

PERSICHETTI, Semonetta. Dos elfos aos selfies. In: KUNSCH, Dimas; PERSICHETTI, Simonetta (Org). Comunicação: entretenimento e imagem. São Paulo: Editora Plêiade, 2013.

SELFIE. In: Oxford Dictionaries. Reino Unido: Oxford University Press, 2015. Disponível em: . Acesso em: 6 de setembro, 2016.

SENFT, Theresa M.; BAYM, Nancy K. What does the selfie say? Investigating a global phenomenon. In: International Journal of Communication, v. 9, n. 0, p. 1588-1606, 2015.

SLOTERDIJK, Peter. Bubbles: Spheres Volume I: Microspherology. Los Angeles: Semiotexte(e), 2011.

TARDE, Gabriel. Monadologia e sociologia. In: ______. Monadologia e sociologia: e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

WEISER, Eric B. # Me: Narcissism and its facets as predictors of selfie-posting frequency. Personality and Individual Differences, v. 86, p. 477-481, 2015.

WHITEHEAD, Alfred North. O conceito de natureza. São Paulo: Martins Fontes, 1994.




DOI: https://doi.org/10.22409/contracampo.v36i2.1017

Apontamentos

  • Não há apontamentos.