Flagrantes e anúncios: temporalidades em perspectiva na revista ilustrada Fon-Fon!

Tatiana Siciliano, Everardo Rocha, Maria Carolina Medeiros, Melba Porter

Resumo


A partir do pressuposto de que a comunicação é uma prática social, propomos compreender a relação entre cultura midiática e vida moderna, aqui pensada sob os aspectos da temporalidade, buscando o passado como ferramenta para entender o presente. No presente artigo, tomaremos as revistas ilustradas como construtoras do espetáculo da cidade e da encenação da modernidade, traduzindo para os leitores as formas de sociabilidade adequadas à época e atuando como mediadoras nessa fase de transição. O nosso corpus será composto de 12 edições da Fon-Fon!, publicadas em 1908. Tomaremos as seções “Na Calçada” e “O Rio Elegante”, bem como algumas propagandas, como objetos da análise.

 


Palavras-chave


Modernidade; revistas ilustradas; temporalidade; propagandas; colunas sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

ALENCASTRO, Luiz Felipe. “Vida privada e ordem no Império”. In: História da vida privada no Brasil: Império. Volume 2. Coord. Fernando A. Novais. Org. Luiz Felipe de Alencastro. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 11-94.

ARAÚJO, Rosa Maria Barboza. A vocação do prazer. A cidade e a família no Rio de Janeiro republicano. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

ASSIS, Machado. Esaú e Jacó. Memorial de Aires. São Paulo, Editora Nova Cultural, 2003 [1904;1908].

ASSIS, Machado de. História de Quinze Dias (1876-1878). Org. e introdução de Leonardo de Miranda Pereira, s/d (mimeo).

ASSIS, Machado de. Capítulo do Chapéu. In: Volume de contos. Rio de Janeiro: Garnier, 1884.

BARBOSA, Marialva. História da Comunicação no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BARBOSA, Marialva. Percursos do olhar: comunicação, narrativa e memória. Niterói, RJ: EdUFF, 2007.

BAUDELAIRE, Charles. O pintor da vida moderna. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010 [1863].

BECKER, Howard S. Falando da sociedade. Ensaios sobre as diferentes maneiras de representar o social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2009.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire. Um lírico no auge do capitalismo. Obras escolhidas III. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

BERMAN, Marshall. Tudo o que é sólido desmancha no ar. A aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

BROCA, Brito. A vida literária no Brasil – 1900. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1956.

CHARNEY, Leo. “Num instante: o cinema e a filosofia da modernidade”. In: CHARNEY, Leo & SCHWARTZ Vanessa R. (orgs.). O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

EDMUNDO, Luiz. O Rio de Janeiro do meu tempo. Brasília: Edições do Senado Federal, 2003 [1938].

ELIAS, Norbert. O processo civilizador, volume 1: Uma História dos Costumes. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2011 [1939].

GOFFMAN, Erving. Comportamentos em lugares públicos. Petrópolis: Vozes, 2010 [1963].

KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo. Estudos sobre história. Rio de Janeiro: Contraponto: Puc-Rio,2014.

________. Futuro Passado. Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, Editora Puc-RJ, 2006.

LENZI, Gabriela Poltronieri. Da proteção à moda: o chapéu como elemento distintivo. Anais do 5º ENP – Encontro Nacional de Pesquisa de Moda. Universidade FEEVale, Rio Grande do Sul, 2015.

LEVY, Ruth. Entre palácios e pavilhões. A arquitetura efêmera da Exposição Nacional de 1908. Rio de Janeiro: EBA Publicações, 2008.

MAUAD, Ana Maria. “Imagem e auto-imagem do Segundo Reinado”. In: História da vida privada no Brasil - Império: a corte e a modernidade nacional. Volume 2. Coord. Fernando A. Novais. Org. Luiz Felipe de Alencastro. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 181-232.

_________. Na mira do olhar: um exercício de análise da fotografia nas revistas ilustradas cariocas, na primeira metade do século XX. In: Anais do Museu Paulista. São Paulo. v.13. n.1. p. 133-174. jan-jun. 2005.

MEDEIROS, Maria Carolina E. Regras de convivência: um estudo sobre etiqueta e manuais de civilidade no Brasil. Dissertação (mestrado). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Comunicação Social, 2017.

________, PORTER, Melba. Civilidade e modernidade: narrativas e mediações no Rio de Janeiro dos séculos XIX e XX. Artigo aceito no Poscom 2018. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2018.

NEVES, Margarida de Souza. Brasil, acertai vossos ponteiros. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia, 1991.

PADILHA, Marcia. A cidade como espetáculo: publicidade e vida urbana na São Paulo dos anos 20. São Paulo: Annablume, 2001.

PAZ, Otavio. Os filhos do barro: do romantismo à vanguarda. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1974.

PECHMAN, Robert Moses. “De cividades e incivilidades”. Revista Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Laboratório de Políticas Públicas/UERJ, maio-ago. 2003.

ROCHA, Everardo. Magia e capitalismo: um estudo antropológico da publicidade. 4ª edição. São Paulo: Brasiliense, 2010 [1985].

SEVCENKO, Nicolau. “A capital irradiante: técnicas, ritmos e ritos do Rio”. In: NOVAIS, Fernando A. & SEVCENKO, Nicolau (org). História da Vida Privada no Brasil. Volume 3: República: da Belle Époque à Era do Rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 2002 [1998].

SICILIANO, Tatiana Oliveira. O Rio de Janeiro de Artur Azevedo: cenas de um teatro urbano. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2014.

SICILIANO, Tatiana Oliveira. A cultura das mídias e a experiência urbana na Belle Époque carioca. XXV Encontro Anual da Compós. Universidade Federal de Goiás. Goiânia, junho de 2016.

SCHORSKE, Carl E. Viena Fin-de-Siècle. Política e Cultura. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Ed. Loyola, 2014. 4a ed.

SIMMEL, Georg. As grandes cidades e a vida do espírito. Mana 11(2): 577-591, 2005 [1903].

SIMMEL, Georg. Filosofia da moda. Lisboa: Edições Texto & Grafia, 2008 [1905].

VELLOSO, Monica Pimenta. “Sensibilidades modernas: as revistas literárias e de humor no Rio da Primeira República”. In: LUSTOSA, Isabel (org.). Imprensa, História e Literatura. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22409/contracampo.v0i0.27173

Apontamentos

  • Não há apontamentos.