O pessoal é político na Revista AzMina: legitimação pelo testemunho e demandas por reconhecimento nos textos sobre maternidade

Eliza Bachega Casadei, Martha Alvarez Lopes Makita

Resumo


A partir da análise de textos sobre maternidade publicados na revista AzMina entre setembro de 2015 e maio de 2018, o presente artigo tem como objetivo analisar quais são os campos discursivos que articulam as demandas por justiça materializadas nos testemunhos da revista e a forma como tais testemunhos se coadunam a esferas de reconhecimento de uma pluralidade de formas possíveis de maternidade. Para isso, estudaremos os textos a partir dos modelos de reconhecimento propostos por Honneth (2003): a saber, as ligações emotivas fortes, a adjudicação de direitos e a orientação por valores. Nesse sentido, analisaremos as problemáticas em torno do reconhecimento nas articulações de vozes dessa publicação (em termos dos testemunhos que assumem o primeiro plano e aqueles que são silenciados) e as demandas por justiça e reconhecimento associadas a esses testemunhos.


Palavras-chave


Maternidade; AzMina; Testemunho; Legitimação; Reconhecimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/contracampo.v38i3.28480

Apontamentos

  • Não há apontamentos.