“Quase sem dar um tiro"?: a resistência ao Golpe de 1964 em Pernambuco

Thayana de Oliveira Santos

Resumo


Durante a década de 1960 no Nordeste, sobretudo em Pernambuco, os movimentos sociais assumiram um papel de destaque. Trabalhadores(as) urbanos e rurais se organizavam e questionavam a situação a que estavam submetidos(as). O Golpe de 1964 veio interromper esse processo de crescente participação popular. Contudo, os trabalhadores(as) não ficaram passivos(as) diante do movimento golpista e diversas manifestações contrárias ao golpe ocorreram, já em suas primeiras horas, sendo uma delas liderada por uma mulher, militante das Ligas Camponesas, no interior de Pernambuco. Este trabalho pretende discutir como se deu o Golpe de Estado e a reação a ele em Pernambuco.

Palavras-chave


Ciências Humanas; História; Teoria; Sociologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2238-9288

NEPeTS - Núcleo de Estudos e Pesquisas em Teoria Social