CENÁRIOS PROSPECTIVOS PARA UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Adriana Manzolillo Sanseverino, Carlos Francisco Simões Gomes, Mara Regina dos Santos Barcelos

Resumo


Este artigo tem como objetivo identificar os possíveis cenários (desejável, indesejável e de tendência) para a Universidade Federal Fluminense. Para alcançar o objetivo proposto, utilizou-se o Método Unificado de Planejamento Estratégico Prospectivo (Momento), proposto por Gomes e Costa (2013). Os resultados indicaram a caracterização da instituição, os atores envolvidos, as relações entre as variáveis e as incertezas relacionadas, possibilitando a construção dos cenários. No cenário indesejável, a gestão da universidade complica-se mediante a insuficiência de recursos para a sua manutenção e a execução adequada de suas atividades. Em oposição, o cenário desejável viabiliza o processo de gestão com o aumento das receitas, o quadro de pessoal adequado às necessidades da instituição e o fomento aos seus projetos. E no cenário de tendência, as dificuldades são minimizadas face à melhora no equilíbrio entre receitas e despesas. O estudo contribui para o planejamento estratégico das organizações públicas, em particular as Instituições Federais de Ensino brasileiras, por meio da análise prospectiva. A aplicação da metodologia de elaboração de cenários possibilita o avanço do conhecimento sobre o tema, fomentando a construção de caminhos possíveis para a superação das dificuldades e a melhoria dos processos nessas instituições.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, N. M, FILHO, QUINTELLA, R. H, COUTINHO, D. M. B, MESQUITA, F. J. G. & BARRETO, O., FILHO. 2014. Mapa de redes de impacto para gestão estratégica na universidade. Educação e Realidade, 39(1), 277-311.

ARANGO, D. E. S. & ROMERO, A. F. 2016. La universidad latinoamericana y del Caribe en los desafíos del siglo XXI. Revista Historia de la Educación Latinoamericana, 18(26), 279-309.

ASSIS, B. F. S. P., PEREIRA, D. S., MACHADO, L. G. & GOMES, C. F. S. 2017. Cenários prospectivos na aviação comercial brasileira. Revista GEINTEC, 7(1), 3686-3700.

BARRIZONTE, J. L. Q., BASTIDA, E. J. L. & ALONSO, K. R. 2015. Planeación estratégica con enfoque prospectivo para la editorial “Universo Sur”. Revista Universidad y Sociedad, 7(3), 160-167.

CAVAZOTTE, F. S. C. N., ARAUJO, F. F. & ABREU, A. L. 2017. Identificação organizacional entre funcionários públicos brasileiros: um estudo no setor cultural. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 19(64), 289-306.

CHAUÍ, M. 2001. A universidade na sociedade. In: CHAUÍ, M. (ed.) Escritos sobre a universidade. São Paulo.

CLÍMACO, J., DIAS, L. & ALMEIDA, L. A. 2015. Uma revisão de três pacotes de software dedicados a problemas multiatributo. ENGEVISTA, 17(3), 288-307.

DAL-SOTO, F. & MONTICELLI, J. F. 2017. Coopetition strategies in the brazilian higher education. RAE-Revista de Administração de Empresas, 57(1), 65-78.

DAVEL, E. & VERGARA, S. C. 2013. Gestão com Pessoas, Subjetividade e Objetividade nas Organizações. In: DAVEL, E. & VERGARA, S.C. (orgs.) Gestão com pessoas e subjetividade. São Paulo.

DECRETO n. 72.493, de 19 de julho de 1973. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

DECRETO n. 76.640, de 19 de novembro de 1975. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

DURANCE, P. & GODET, M. 2010. Scenario building: uses and abuses. Technological Forecasting and Social Change, 77(9), 1488-1492.

FIERRO, G. G. 2015. Strategic prospective methodology to explore sustainable futures. Journal of Modern Accounting and Auditing, 11(11), 606-614.

FLÓREZ-PEÑA, T. S. 2013. Creación de unidades de formación con apoyo en la planeación prospectiva. Educación y Educadores, 16(2), 297-308.

GODET, M. 1986. Introduction to la prospective: seven key ideas and one scenario method. Futures, 18(2), 134-157.

GODET, M. 2000. The art of scenarios and strategic planning: tools and pitfalls. Technological Forecasting and Social Change, 65(1), 3–22.

GOMES, C. F. S. & COSTA, H. G. 2013. Proposta do uso da visão prospectiva no processo multicritério de decisão. Relatórios de Pesquisa em Engenharia de Produção, 13(8), 94-114.

GOMES, C. F. S., COSTA, H. G. & BARROS, A. P. 2017. Sensibility analysis of MCDA using prospective in Brazilian energy sector. Journal of Modelling in Management, 12(3), 475-497.

GOMES, L. F. A. M. & GOMES, C. F. S. 2014. Tomada de decisão gerencial: enfoque multicritério, São Paulo, Atlas.

HERRERA, B. S., MONTOYA R., I. A. & MONTOYA R., L. A. 2013. Aplicación del enfoque integrado de prospectiva y estrategia para el mejoramiento al proceso de selección docente de la Universidad Nacional de Colombia. Innovar, 23(48), 43-54.

LEI n. 3.848, de 18 de dezembro de 1960. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

LEI n. 4.831, de 5 de novembro de 1965. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

LEI n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

LEI n. 11.091, de 12 de janeiro de 2005. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

LEI n. 12.772, de 28 de dezembro de 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

LÓPEZ, Y. P. L. 2014. Visión analítica de la planificación prospectiva en las universidades públicas venezolanas. Cuadernos de Administración, 30(52), 105-114.

LOEWE, N., ARAYA-CASTILLO, L., THIEME, C. E BATISTA-FOGUET, J.M. 2015. Self-employment as a moderator between work and life satisfaction. Academia Revista Latinoamericana de Administración, 28(2), 213-226.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (Brasil), Secretaria de Apoio, Departamento de Pessoal. 1979. Considerações sobre a situação atual dos técnicos em assuntos educacionais no MEC. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

MORALES, G. R. & LEÓN, E. M. 2014). Gestión estratégica vs. análisis estratégico. Una discusión conceptual a partir del estudio de caso de una institución de educación superior. Pensamiento & Gestión, 36, 267-290.

PATINO, J. D. P. & ARBELAZ, I. C. L. 2016. Gestión humana de orientación analítica: um caminho para la responsabilización. RAE-Revista de Administração de Empresas, 56(1), 101-113.

RAMA, C. 2012. La utopía de pensar la universidad latinoamericana del siglo XXI. Innovación Educativa, 12 (60), 105-123.

RUBEM, A. P. S., MOURA, A. L. & GOMES, C. F. S. 2014. Cenários prospectivos no apoio à decisão: uma proposta de aprimoramento do método de Schoemaker. Relatórios de Pesquisa em Engenharia de Produção, 14(B5), 70-80.

SANSEVERINO, A. M. 2015. Plano de ação para o técnico em assuntos educacionais em uma instituição federal de ensino superior. Dissertação de mestrado, Universidade Federal Fluminense.

SANSEVERINO, A. M. & GOMES, C. F. S. 2017. Propostas dos técnicos em assuntos educacionais. ReCaPe Revista de Carreiras e Pessoas, VII(02), 476-494.

SANTOS, A. C. 2015. Gestión de recursos humanos en la empresa, desempeño y sentido de compromisso. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 17(56), 1134-1148.

SCHOEMAKER, P. J. H. 1995. Scenario Planning: A Tool for strategic thinking. Sloan Management Review, 36(2), 25-40.

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. 2017a. Apresentação. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. 2017b. Relatório de gestão do exercício de 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. 2017c. Sistema de transparência da UFF. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.

VIEIRA, J. A. M., BRAGA, I. E. & GOMES, C. F. S. 2017. Development of a scenario prospecting model with the use of multicriteria decision aiding: importance of environmental variables. Brazilian Journal of Operations & Production Management, 14, 210-217.




DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v20i4.13217

Apontamentos

  • Não há apontamentos.