Produção de painéis de madeira com resíduos de MDF e MDP da indústria moveleira e resina à base de tanino de Acácia Negra.

Angelo de Freitas, Denise Maria Lenz

Resumo


Este trabalho apresenta um estudo da produção e avaliação de nova matéria-prima confeccionada a partir de resíduos de painéis de madeira aglomerada provenientes de empresas moveleiras da região do Vale do Caí, Rio Grande do Sul. Os painéis foram confeccionados utilizando 40 kgf/cm² (3,9 MPa) de pressão de compactação, 160 °C de temperatura, 12 minutos de tempo de prensagem e, como adesivo, empregou-se duas resinas à base de tanino de Acácia Negra na proporção de 11 % em relação à massa seca das partículas de madeira. As propriedades físico-mecânicas dos painéis foram avaliadas com base nas Normas NBR 14810 e NBR 15316 e realizou-se análise de variância e médias para avaliação da diferença estatística entre as propriedades dos painéis. O perfil de degradação térmica dos painéis foi realizado através de análise termogravimétrica. As propriedades físicas de densidade aparente e teor de umidade atenderam à norma nacional, enquanto o inchamento em espessura dos painéis apresentou valores médios desiguais para os dois adesivos. O módulo de ruptura, o módulo elasticidade, a ligação interna, o arrancamento do parafuso e a absorção de água não atenderam as exigências das normas. O perfil de degradação térmica dos painéis produzidos com os dois adesivos e um painel produzido com madeira virgem foi similar, indicando o início de decomposição térmica da madeira em torno de 250 ˚C. De acordo com a análise estatística através do teste Anova para um fator não foi possível identificar diferenças entre as médias dos dois adesivos em todas as propriedades.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v21i1.22658

Apontamentos

  • Não há apontamentos.