BIOSSORÇÃO DO BAGAÇO DE LARANJA (Citrus sinensis L. Osbeck) NA REMOÇÃO DE CORANTE AZUL REATIVO 5G

Thainá Stéphanie Martins de Freitas, Cesar Vinicius Toniciolli Rigueto, Claudinéia Aparecida Queli Geraldi, Raquel Aparecida Loss, Sumaya Ferreira Guedes, Donato Alexandre Gomes Aranda, Germildo Juvenal Muchave, Jussara de Araújo Gonçalves

Resumo


As indústrias têxteis estão entre os setores industriais que mais consomem água, gerando assim grandes volumes de efluentes contendo corantes de carga química elevada. A indústria de suco de laranja também produz relevante quantidade de resíduos sólidos, dentre eles, o bagaço de laranja. A adsorção destaca-se no tratamento de efluentes por ser uma técnica barata e que possibilita empregar resíduos ou subprodutos sólidos como adsorventes. Nesse contexto, o presente trabalho objetivou avaliar a capacidade de remoção de corantes de efluentes têxtil (sintético), utilizando como biossorvente o bagaço de laranja in natura. Para tanto, o bagaço da laranja foi caracterizado por microscopia eletrônica de varredura, e ensaios cinéticos e de equilíbrio em batelada determinaram as melhores condições do processo adsortivo. Na caracterização do biossorvente, verificou-se que o bagaço de laranja apresenta superfície de contato irregular. As condições otimizadas do processo foram obtidas em solução de corante com pH=2, temperatura de 40°C e 100 rpm de rotação. Na cinética de adsorção foi estabelecido um tempo de equilíbrio de 240 min, capacidade de adsorção no equilíbrio de 15,10 mg.g-1 e remoção de 84 %. O modelo matemático Pseudo-segunda ordem apresentou melhor ajuste aos dados cinéticos com um coeficiente de determinação de 0,9626. As isotermas de adsorção foram representadas pelos modelos de Freundlich, Langmuir e Redlich-Peterson.  As três curvas de adsorção obtidas podem ser consideradas favoráveis, independente da concentração inicial do corante azul reativo 5G e apresentaram um comportamento padrão. Na modelagem matemática, o modelo de Freundlich ajustou-se melhor aos dados de equilíbrio a 50 mg.L-1 . Já para as concentrações de 75 e 100 mg.L-1 os modelos de Langmuir e Redlich-Peterson proporcionaram uma melhor predição dos dados de equilíbrio.  As análises realizadas com o bagaço de laranja demonstraram que este tem grande potencial para ser utilizado como biossorvente na remoção de efluentes contaminantes oriundos dos processos produtivos da indústria têxtil.

Texto completo:

PDF

Referências


APHA - American Public Health Association. 2005. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 21ª ed, Washington-DC.

ARAMI, M.; LIMAEE, N. Y.; MAHMOODI, N. M.; TABRIZI, N. S. 2005. Removal of dyes from colored textile wastewater by orange peel adsorbent: equilibrium and kinetic studies. Journal Colloid Interface Science, 288, 371-376.

BLANCO, S. P. D. M.; ESPINOZA-QUIÑONES, F. R.; MÓDENES, A. N.; BORBA, C. E.; MARIN, P.; PASSAIA, N.; SILVA FIGUEIREDO, L. 2016. Estudo da cinética e do equilíbrio de adsorção do corante azul reativo 5G pelo adsorvente DOWEX™ OPTIPORE™ SD-2. Engevista, 18, 96-108.

FIORENTIN, L. D.; MENON, B. T.; BARROS, S. T. D.; PEREIRA, N. C.; LIMA, O. C. D. M.; MODENES, A. N. 2010. Isotermas de sorção do resíduo agroindustrial bagaço de laranja. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 14, 653-659.

HOLKAR, C. R.; JADHAV, A. J.; PINJARI, D. V.; MAHAMUNI, N. M.; PANDIT, A. B. A. 2016. Critical Review on Textile Wastewater Treatments: Possible Approaches. Journal of Environmental Management, 182, 351-366.

HONORIO, J. F.; VEIT, M. T.; GONÇALVES, G. C.; DE CAMPOS, É. A.; FAGUNDES-KLEN, M. R. 2016. Adsorption of reactive blue BF-5G dye by soybean hulls: kinetics, equilibrium and influencing factors. Water Science and Technology, 73, 1166-1174.

MONTANHER, S. F. 2009. Utilização da biomassa de bagaço de laranja como material sorvente de íons metálicos presentes em soluções aquosas. Dissertação de Doutorado, Universidade Estadual de Maringá.

MORÃO, L.G.; DILARRI, G.; CORSO, C.R. 2016. An approach to textile dye removal using sawdust from Aspidosperma polyneuron. International Journal of Environmental Studies, 74, 75-85.

ONU BR. 2015. Organização das Nações Unidas no Brasil. Se o atual ritmo de consumo continuar em 2050 o mundo precisará de 60% mais alimentos e 40 % mais água. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2018.

STRÖHER, A. P.; DE MENEZES, M. L.; FIORENTIN, L. D.; PEREIRA, N. C. 2012. Utilização do bagaço de laranja no tratamento de efluente proveniente da lavagem de jeans. E-xacta, 5, 27-37.




DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v21i2.22888

Apontamentos

  • Não há apontamentos.