APLICAÇÃO DO ESTIMADOR “MAXIMUM LIKELIHOOD” EM UM TESTE DE VIDA SEQÜENCIAL COM UMA DISTRIBUIÇÃO DE AMOSTRAGEM WEIBULL DE TRÊS PARÂMETROS

Daniel I. de Souza Jr., Daniele Rocha Fonseca

Resumo


Um mecanismo de teste de vida seqüencial com uma distribuição Weibull de três parâmetros, no qual existe informações significativas relativas aos valores dos parâmetros de forma e de escala do modelo Weibull representando o produto sendo testado, já foi analisado anteriormente por De Souza (2003), De Souza (2004a,b). Nesse trabalho iremos desenvolver um mecanismo de teste de vida seqüencial no qual a distribuição de amostragem será o modelo Weibull de três parâmetros e o produto sendo analisado é um novo componente metalúrgico. Assumiremos que o valor da vida mínima ou parâmetro de localização será diferente de zero. Para estimarmos os parâmetros de forma, de escala e de vida mínima do modelo Weibull de três parâmetros utilizaremos o estimador “Maximum Likelihood” em uma situação de teste de vida truncado por falhas. O emprego do método do Maximum Likelihood para estimar os parâmetros do modelo Weibull de três parâmetros poderá apresentar problemas no que se refere às condições de regularidade ou aderência, veja Murthy et al., (2004), Blischke, (1974) e Zanakis and Kyparisis, (1986). Para resolvermos o problema de falta de “regularidade” ou “aderência” acima mencionada utilizaremos uma modificação proposta por Cohen, et al. (1984). Um exemplo irá ilustrar a aplicação do mecanismo de truncagem do teste de vida seqüencial proposto.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v8i2.197

Apontamentos

  • Não há apontamentos.