ESTUDO DA TOXICIDADE DE EFLUENTE TÊXTIL TRATADO POR FOTO-FENTON ARTIFICIAL UTILIZANDO AS ESPÉCIES LACTUCA SATIVA E ARTEMIA SALINA

Soraya Moreno Palácio, Daniele Alves Nogueira, Diego Ricieri Manenti, Aparecido Nivaldo Módenes, Fernando Rodolfo Espinoza-Quiñones, Fernando Henrique Borba

Resumo


Este trabalho apresenta a análise da toxicidade de efluente têxtil tratado por processo foto-Fenton com irradiação artificial, utilizando alface (Lactuca sativa) e micro-crustáceos (Artemia salina) como organismos-teste. Foram retiradas alíquotas do efluente nos tempos de tratamento de 0, 5, 10, 15, 45, 60 e 90 minutos para análise da toxicidade, demanda química de oxigênio (DQO), cor e turbidez. Durante o experimento de toxicidade determinou-se a inibição do crescimento das raízes e radículas da alface, o efeito sobre a germinação das sementes e o efeito sobre a mortalidade dos micro-crustáceos, além da concentração letal (DL50) para cada espécie. Analisando os resultados obtidos, verificou-se que o tratamento foto-Fenton artificial não reduziu a toxicidade do efluente têxtil; entretanto, na DQO, cor e turbidez, obtiveram-se reduções acima de 90% nos primeiros 45 minutos de irradiação. 

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v14i2.382

Apontamentos

  • Não há apontamentos.