OTIMIZAÇÃO DOS PARÂMETROS DE HIDRÓLISE ENZIMÁTICA DO BAGAÇO DE CANA-DE-AÇÚCAR

Fabiano Bisinella Scheufele, Alan de Siqueira Butzke, Isabela Furquim Marra, Salah Din Mahmud Hasan, Mônica Lady Fiorese

Resumo


Devido ao contexto atual da diminuição dos combustíveis fósseis alavancando a necessidade de fontes energéticas de origem renovável, tem-se focado muito na conversão de biomassas lignocelulósicas via enzimas hidrolíticas. Neste trabalho objetivou-se avaliar e otimizar as condições da hidrólise enzimática do bagaço de cana-de-açúcar a partir de celulases produzidas por fermentação em estado sólido (FES) com o fungo Trichoderma sp oriundo do bioma amazônico. Inicialmente realizou-se o pré-tratamento alcalino oxidativo no bagaço de cana-de-açúcar, utilizando-o como substrato na FES para a produção de enzimas celulases com Trichoderma sp. O extrato enzimático celulolítico produzido alcançou atividade de 0,162 U.mL-1 e foi utilizado na hidrólise enzimática do bagaço de cana visando a produção de açúcares fermentescíveis. Através das metodologias de superfície de resposta avaliou-se as variáveis tempo de hidrólise (t), diluição da enzima (D), concentração de Tween 80 (C) e razão sólido:líquido (R) sobre a resposta da atividade enzimática da celulase. Foi utilizada também uma enzima comercial nos testes de hidrólise para fins de comparação. Os maiores níveis de atividade enzimática foram 0,324 e 0,362 para a enzima produzida e a comercial, respectivamente, no tempo de 90 min, diluição de enzima de 1,0, concentração de Tween de 1% e razão sólido:líquido de 30 g.L-1


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v14i3.421

Apontamentos

  • Não há apontamentos.