GESTÃO DA QUALIDADE BACTERIOLÓGICA DA ÁGUA DOS RIOS MACACU, CACERIBU, GUAPI-AÇU E GUAPI-MACACU, RJ, BRASIL

Myriam Bandeira Vianna, Julio Cesar Wasserman, Otílio Machado Bastos, Renato Gomes Sobral Barcellos, Alynne Silva Barbosa

Resumo


A importância da manutenção da qualidade da água dos corpos d’água que abastecem as cidades se deve não somente ao cuidado com a saúde dos que a consomem, mas também aos elevados custos com os tratamentos. O presente trabalho teve como objetivo fazer o diagnóstico bacteriológico da água dos rios Macacu, Caceribu, Guapi-Açu e Guapi-Macacu. Os mananciais estudados estão situados na área de influência do COMPERJ, fazendo parte da bacia do Guapi-Macacu, responsável pelo abastecimento dos municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Ilha de Paquetá, no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Durante um período de nove meses, foram realizadas análises bacteriológicas mensais para bactérias coliformes totais e termotolerantes para a avaliação da qualidade da água. As análises serviram de base para as medidas propostas para melhorar o controle das bactérias contaminantes, como parte do sistema de gestão da qualidade da água para consumo humano da região em foco. Foram coletadas 81 amostras de água de 9 pontos diferentes. As análises bacteriológicas foram realizadas pelo método do Número Mais Provável (NMP) utilizando a técnica dos tubos múltiplos. Os resultados das análises indicaram NMP elevados de coliformes totais e termotolerantes para todos os pontos, acima dos previstos pelas normas ambientais de potabilidade e balneabilidade para todos os pontos pesquisados. Observou-se que visando ao fornecimento de água de boa qualidade para consumo humano é necessário que as empresas de água e as agências ambientais desenvolvam sistemas de monitoramento para o controle da qualidade da água e ações para melhorar os índices de contaminação da água bruta.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v15i3.473

Apontamentos

  • Não há apontamentos.