COMPORTAMENTO DA MISTURA SOLO-EMULSÃO PARA O SISTEMA VIÁRIO DE URUCU (COARI-AM)

Marcos Raiker Printes Ferreira

Resumo


O trabalho em pauta se ambienta na Província Petrolífera de Urucu, situada no Município de Coari – AM, área de extração de gás e petróleo da Petrobras (Petróleo Brasileiro S.A.), na qual a descoberta de poços de petróleo trouxe consigo a necessidade de aperfeiçoar os pavimentos locais — seja pela deficiente resistência mecânica, devida à escassez de material granular regional, bem como por restrições ambientais, impostas à citada empresa, por atuar na floresta amazônica. A mistura solo-emulsão apresenta-se como uma alternativa técnico-ambiental, uma vez que o resíduo gerado pelo processo de mistura é praticamente apenas a água do momento da ruptura. Neste contexto, o presente trabalho estuda os efeitos da adição de emulsão asfáltica RL-1C a um solo siltoso, característico da região de Urucu, nos teores 1%, 2%, 5% e 8%, com tempo de aeração de 0 e 1h e período de cura seca ao ar livre de 0 e 7 dias. Analisaram-se o comportamento mecânico do solo natural e das misturas solo-emulsão pelos ensaios de resistência à compressão simples e triaxial de cargas repetidas. Os resultados alusivos às misturas revelaram: (a) a contribuição quanto ao ganho de resistência (RCS), para 1% de emulsão e após sete dias de cura, (b) o excelente comportamento concernente à deformação, mostrado pelo ensaio de RCS, e (c) o melhor desempenho indicativo do Módulo de Resiliência (MR), para amostras com 2% de emulsão, sem aeração e sete dias de cura, quando confrontados com o solo natural.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v16i2.490

Apontamentos

  • Não há apontamentos.