AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO PROCESSO DE COAGULAÇÃO/FLOCULAÇÃO APLICADO AO TRATAMENTO PRIMÁRIO DE EFLUENTE DA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA

Felipe Sombra Santos, Suzana Morais de Oliveira, Diego Macedo Veneu, Magali Christe Cammarota, Lídia Yokoyama

Resumo


Um determinado tipo de efluente de uma indústria petroquímica foi avaliado neste estudo para aplicação em um processo de coagulação, utilizando os coagulantes FeCl3, Al2(SO4)3 e policloreto de alumínio (PAC) no processo de coagulação. Além desses, um polímero aniônico (Magnafloc), também foi utilizado. Durante os ensaios de coagulação/floculação, conduzidos em Jar test, os melhores resultados obtidos com adição de FeCl3 foram alcançados em uma concentração de 300 mg/L no valor de pH igual a 9,0, na presença ou não de Magnafloc na concentração de 1,5 mg/L. Sob estas condições obteve-se uma remoção de turbidez de 90% e 92,8%, e de óleo e graxas de 91,6% e 86,8%. Já ao utilizar o Al2(SO4)3, os melhores resultados foram alcançados a uma concentração de 300 mg/L em valor de pH igual a 9,0, também na presença ou não do polímero Magnafloc a uma concentração de 1,0 mg/L. Nestes ensaios a remoção de turbidez foi de 93,5% e 97,3%, enquanto que a de óleo e graxas foi de 91,5% e 93,3%. Ao adicionar o PAC, em uma concentração de 150 mg/L e no valor de pH igual a 8,0, sem e com adição de Magnafloc na concentração de 1,0 mg/L, os resultados apresentados foram 96,5% e 98,2% na remoção de turbidez, e 91,2% e 95% na remoção de óleos e graxas. Após a realização de todos os ensaios, concluiu-se que para este determinado tipo de efluente, o PAC (150 mg/L), em pH 8,0 e na presença do polímero aniônico Magnafloc (1,0 mg/L) se apresentou como a melhor escolha para o tratamento, por promover a melhor remoção de turbidez e óleos e graxas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v16i4.581

Apontamentos

  • Não há apontamentos.