A POLIGERAÇÃO NA PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS: ETANOL E BIOMETANOL

Maria Luiza Grillo Renó

Resumo


Neste trabalho são apresentadas duas rotas tecnológicas de produção de biocombustível provenientes da cana-de-açúcar no contexto da poligeração. O primeiro caso consiste numa destilaria autônoma de produção de etanol com uma capacidade de moagem de 380 toneladas de cana por hora, gerando excedentes elétricos para comercialização na rede a partir de seu sistema de cogeração baseado em turbinas de extração/condensação que opera com parâmetros de vapor de 6.5 MPa e 490 °C. No segundo caso será considerada uma planta de produção de biometanol a partir da gaseificação do bagaço de cana-de-açúcar acoplada a uma destilaria de etanol, com uma capacidade de produção 50.000 toneladas de biometanol por ano. As duas alternativas tecnológicas de produção foram analisadas a partir de indicadores baseados na primeira e segunda lei da termodinâmica, assim como alguns indicadores econômicos. Os resultados mostraram que a implementação dos sistemas de poligeração na produção de biocombustíveis é benéfico a sustentabilidade pois aumenta o uso eficiente dos recursos demandados pelos processos da planta.

Texto completo:

pdf


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v16i1.462

Apontamentos

  • Não há apontamentos.