INFLUÊNCIA DE 15 ANOS DE SOBRECARGA DE ATERRO NA CARACTERIZAÇÃO GEOTÉCNICA DE UM DEPÓSITO DE ARGILA MOLE

Bianca da Silva Baldez, Denise Maria Soares Gerscovich, Bernadete Ragoni Danziger, Rachel da Silva Azevedo

Resumo


A previsão do comportamento de aterros em solos argilosos de baixa consistência representa um desafio, mesmo para engenheiros geotécnicos mais experientes. Depósitos argilosos moles ocorrem em áreas de baixada e são frequentes nas zonas costeiras brasileiras. Para a avaliação da compressibilidade destes depósitos recomenda-se, em geral, a realização de ensaios de adensamento convencional ou com velocidade controlada. O presente artigo tem como objetivo apresentar os resultados de duas campanhas de ensaios de laboratório; uma realizada em 1997 e outra em 2012, em um mesmo depósito de argila mole, localizado na Baixada de Jacarepaguá, Rio de Janeiro. A campanha de 1997 foi feita na fase do projeto de implantação de um Centro Comercial de Serviços, o qual envolveu a execução de extenso aterro. As investigações de 2012 objetivaram avaliar a influência de 15 anos de atuação da sobrecarga do aterro, nos parâmetros de compressibilidade do depósito. Os resultados mostraram que a qualidade dos corpos de prova da primeira campanha foram superiores aos da campanha mais atual, apesar dos cuidados com a amostragem, transporte e preparação dos corpos de prova no laboratório na campanha mais recente. Adicionalmente, foram observados que os critérios de qualidade sugeridos na literatura são extremamente rigorosos para o caso das amostras ensaiadas. As principais diferenças na caracterização geotécnica foram (i) redução significativa do índice de vazios; (ii) valores de OCR tendendo a 1 e (iii) redução de cerca de 65% no índice de compressibilidade Cc


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v17i3.714

Apontamentos

  • Não há apontamentos.