AVALIAÇÃO DA VIABILIDADE CELULAR DE LEVEDURA CULTIVADA EM PERMEADO DE SORO DE QUEIJO APÓS SECAGEM

Grettya Maria Assunção, Matheus da Silva Lucas, Mônica Lady Fiorese, Edson Antonio da Silva, Izabela Miotto, Barbara Lepretti de Nadai, Camila Larissa Hinterholz

Resumo


A produção de Concentrado Proteico de Soro (CPS) gera como subproduto o permeado de soro de queijo, que é rico em água, sais minerais e lactose, e é passível de ser utilizado em nível de reaproveitamento, como fonte de carbono em processos biotecnológicos. Um emprego do permeado é no cultivo de S. Boulardi, levedura probiótica, gerando um produto com biomassa, meio de cultivo e elevado teor de umidade que, para algumas aplicações na indústria, necessita ser removida. A secagem é uma alternativa para o processamento da biomassa, desde que realizada de forma efetiva e em condições brandas de temperatura para evitar a perda da viabilidade celular. O objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade celular pós-secagem em Estufa de Circulação Forçada, Desidratador e Spray Dryer, analisar a composição físico-química da biomassa in natura e após secagem, além da cinética de secagem para os secadores descontínuos investigados. Para tal, foram feitas secagens utilizando amostras de biomassa mais o meio de cultivo (amostra A) e amostras de biomassa previamente centrifugada, removendo o sobrenadante (amostra B). Foram testados diferentes modelos matemáticos para descrever a cinética de secagem dos procedimentos descontínuos e o modelo de Page foi o que melhor representou o comportamento dos dados experimentais. Para todas as condições testadas, não houve perdas significativas em relação à viabilidade celular da levedura, sendo após os procedimentos de secagem mantidos acima de 90% de células viáveis.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v18i1.697

Apontamentos

  • Não há apontamentos.