ASSOCIAÇÃO DE SULFATO DE FERRO E ULTRASSOM NA CLARIFICAÇÃO DE EFLUENTE DE INDÚSTRIA LÁCTEA

Aniela Pinto Kempka, Adriana Grando, Katiane Mafessoni, Bruna Cristina Thomé, Pâmela Cristina Lima

Resumo


As atividades as pequenas indústrias processadoras de leite, devido ao não aproveitamento do soro, na sua totalidade, na manufatura de produtos, podem representar potencial poluidor e por essa razão, é necessária a busca pelo desenvolvimento de tecnologias eficientes para o tratamento dos efluentes. O objetivo deste trabalho foi verificar a influência do tempo de tratamento com ultrassom (U) e de diferentes concentrações de sulfato de ferro (SF) na clarificação de efluente de laticínio, utilizando a técnica de planejamento de experimentos. Foram determinados, no clarificado obtido, a remoção de turbidez (%), a remoção de sólidos (%), a condutividade e a acidez total. Posteriormente, verificou-se a influência do pH na clarificação. A remoção de turbidez foi maior para os experimentos E3 (5.000 mg/L de SF e 5 min de U), E4 (5.000 mg/L de SF e 30 min de U) , E5 (1.385 mg/L de SF e 17 min de U), E6 (5.615 mg/L de SF e 17 min de U) e E8 (3.500 mg/L de SF e 17 min de U) com 76,21%, 85,23%, 85.00%, 81,32%, 90,37%, respectivamente. Para os sólidos, observou-se que E8 apresentou o maior percentual de remoção (82,03%). As condições otimizadas para a clarificação do efluente foram: 1.385 mg/L de SF e 17 minutos de tratamento com U, levando a valores de remoção de turbidez e de sólidos próximos aos obtidos para os demais experimentos com maiores concentrações de SF. Em relação o pH, o melhor desempenho para a remoção da turbidez, com 81,26%, ocorreu em pH 7.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v18i1.718

Apontamentos

  • Não há apontamentos.