Composição da fibra da casca de coco verde in natura e após pré-tratamentos químicos

Mirelle Márcio Santos Cabral, Ana Karla de Souza Abud, Martha Suzana Rodrigues dos Santos Rocha, Renata Maria Rosas Garcia Almeida, Márcia Andréa Gomes

Resumo


O aumento do consumo da água de coco leva a uma maior geração de resíduos, impactando em problemas ambientais e merecendo atenção de pesquisadores para o aproveitamento desta biomassa. Este trabalho avalia a composição da fibra da casca de coco verde, na forma in natura e após pré-tratamento ácido e alcalino, investigando as características lignocelulósicas desta biomassa como mais uma alternativa para o desenvolvimento e produção do etanol. Observou-se elevada concentração de lignina (40,10%), proporcionando alto grau de durabilidade e resistência ao material, e significativa quantidade de celulose (24,70%), oferecendo boas condições para sua utilização na produção de etanol de segunda geração. O pré-tratamento alcalino, apesar da significativa perda em celulose, apresentou maior solubilização de lignina (80%), tornando-se o mais viável para estudos da produção de etanol 2G.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v19i1.802

Apontamentos

  • Não há apontamentos.