ANÁLISE DA ADOÇÃO DE MEDIDORES INTELIGENTES COMO INSTRUMENTO DA POLITICA PÚBLICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Márcio Zamboti Fortes, Antônio Teixeira Ribeiro, David Anderson Veiga Gonçalves, Mariana Albuquerque Reynaud Schaefer, Milton Martins Flores

Resumo


Neste artigo são discutidos os fatores que estimulam e inibem a adoção de medidores inteligentes no Brasil, apontando ainda porque estes dispositivos se tornaram um elemento central nas ações de redução de perdas afetando diretamente a eficiência dos sistemas de energia elétrica. Através de uma pesquisa exploratória na literatura foram mapeadas as políticas e estratégias adotadas nos EUA e Europa na implantação de smart grid para traçar um paralelo com as iniciativas em andamento no Brasil e analisar o papel desempenhado pelo medidor inteligente (smart meter) como elemento central de um projeto de smart grid. A análise das informações coletadas apontou que existem benefícios que são comuns aos projetos e iniciativas em andamento nessas regiões pesquisadas. Contudo, diferenças nas motivações e cenários socioeconômicos locais induzem a estratégias distintas, ainda que exista uma convergência nos objetivos principais de reduzir perdas e ampliar a oferta de energia de qualidade com redução das emissões de CO2.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v19i2.836

Apontamentos

  • Não há apontamentos.