EFEITO DE COMPOSTOS INIBIDORES NA BIOCONVERSÃO DE GLICOSE EM ETANOL POR LEVEDURA Saccharomyces cerevisiae

Bruna Lyra Colombi, Marilha Almeida Ortiz, Patrícia Raquel Silva Zanoni, Washington Luiz Esteves Magalhães, Lorena Benathar Ballod Tavares

Resumo


Biomassas lignocelulósicas, como resíduos agrícolas e florestais, podem servir de matriz carbônica para a fermentação e obtenção do etanol de segunda geração (2G).  Porém, os açúcares fermentescíveis não estão prontamente disponíveis, precisando ser liberados por operações adicionais de pré-tratamento e hidrólise. Paralelamente, substâncias químicas com potencial efeito inibitório ao metabolismo microbiano também são formadas e podem comprometer a produtividade e o rendimento global do processo. Esse estudo teve como objetivo avaliar a influência de vanilina, ácido acético, ácido vanílico e ácido 4-hidroxibenzoico na fermentação de glicose pela levedura Saccharomyces cerevisiae JP1. O cultivo ocorreu em meio sintético composto por nutrientes e 40 g.L-1 de glicose, inibidor em diferentes concentrações e 3% (v/v) de inóculo obtido em meio YPD líquido. O experimento foi conduzido a 30 °C e 150 rpm por 22 h. Amostras foram coletadas periodicamente para monitoramento da multiplicação celular e consumo de substrato, bem como quantificação de etanol no final do procedimento. Os resultados indicaram que vanilina (0,1; 0,5; 1,0 e 1,5 g.L-1) e ácido vanílico (0,1; 0,5 e 1,0 g.L-1) inibiram o crescimento da levedura em uma extensão diretamente proporcional à concentração inicial destes no meio fermentativo. O ácido 4-hidroxibenzoico apresentou, em média, 25% de toxicidade em relação ao crescimento celular, independente das quantidades estudadas (0,1; 0,5 e 1,0 g.L-1). Total inibição do crescimento celular, consumo de glicose e produção de etanol foi observada no meio com ácido acético em concentrações iguais ou superiores a 3,5 g.L-1.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v19i2.838

Apontamentos

  • Não há apontamentos.