REÚSO DE ÁGUA DE DRENO DE AR CONDICIONADO PARA FINS NÃO POTÁVEIS

Cecília de Castro Bolina, Augusto Lopes Rodrigues, Marcelus Isaac Lemos Gomes, Gustavo de Oliveira Manata Sardinha, Marielle Vieira Félix

Resumo


O mundo atual, principalmente nos anos de 2014 até 2016, passa por um período de secas prolongadas e falta de recursos hídricos para abastecimento da população. No Brasil, cidades grandes da região sudeste e nordeste passam por racionamentos no abastecimento público devido à escassez de água nos mananciais de captação. Neste propósito, este estudo tem o objetivo de avaliar o possível uso de água proveniente dos drenos de ar condicionado no Centro de Gestão de Espaço Físico (CEGEF) da Universidade Federal de Goiás para fins não potáveis tais como lavagem dos passeios, uso em bacias sanitárias, ou até mesmo para regar os jardins, priorizando-se a produção de água tratada, exclusivamente, para o consumo humano. Observou-se que o volume produzido é relativamente alto, chegando a 1.591 e 2.713 litros na estação seca e chuvosa respectivamente. Porém, a economia financeira é pequena, e o resultado da análise laboratorial mostrou presença de sulfeto de hidrogênio acima do permitido pela portaria do Ministério da Saúde MS 2914/11 impossibilitando, assim, seu uso para fins potáveis. Logo, sua utilização é recomendada para o uso em bacias sanitárias.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/engevista.v19i5.985

Apontamentos

  • Não há apontamentos.