A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA ÁREA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA NA UFF ENTRE 1999 E 2009: REFLEXÕES PARA UMA OUTRA PROPOSTA

ANDERSON ROCHA DA SILVA, ANDRÉ LUÍS GILS, CARLA WANDERLEY DE MORAES, ISA COSTA

Resumo


O quantitativo de licenciados na área de Ciências da Natureza e Matemática vem preocupando, na última década principalmente, tanto o Ministério da Educação quanto
as instituições formadoras. Reduzimos o âmbito deste trabalho à formação de licenciados em Ciências Biológicas, Física, Matemática e Química, na Universidade Federal Fluminense (UFF), durante o período de 1999 a 2009. Partimos do estudo de documentos elaborados nesta Instituição sobre cursos de graduação. Os pressupostos destes documentos são comparados com diferentes referenciais teóricos de formação de professores, para fundamentar uma análise crítica dos fluxogramas vigentes em 2009, os quais apresentam tendência de afastamento ao modelo curricular de licenciatura 3+1 e convergir para a formação do educador-pesquisador prático-reflexivo. A análise crítica tem como fio condutor a seguinte questão: as licenciaturas científicas da UFF se
aproximam das propostas curriculares atuais de formação do educador-pesquisador? Concluindo, são feitas indicações para uma futura atualização dos currículos das licenciaturas científicas, tais como: criação de um grupo de pesquisa institucional sobre formação de professores; intensificação do viés da pesquisa educacional nos componentes curriculares; atualização permanente de acordos, convênios entre a UFF e
os sistemas de ensino público que propiciam parcerias; produção conjunta de trabalhos didático-pedagógico-científicos por licenciandos, professores das escolas e docentes
formadores.
Palavras-chave: formação de professores; licenciaturas científicas; currículo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/resa2011.v4i3.a21087

Apontamentos

  • Não há apontamentos.