A MÁQUINA DO TEMPO DE H.G. WELLS: UMA POSSIBILIDADE DE INTERFACE ENTRE CIÊNCIA E LITERATURA NO ENSINO DE FÍSICA

EMERSON FERREIRA GOMES, SONIA DO AMARAL, LUÍS PAULO DE CARVALHO PIASSI

Resumo


A Teoria da Relatividade proposta no início do século XX exerceu uma influência basilar na literatura de ficção e de ficção científica: autores consagrados como Jorge
Luís Borges, Isaac Asimov e divulgadores da ciência como Alan Lightman e Russel Stannard a utilizaram como base fundamental em seus escritos. Este trabalho pretende
analisar a obra A Máquina do Tempo de H. G. Wells buscando elementos que podem ser utilizados em sala de aula – visto que a quebra de paradigma de espaço e tempo
possibilita instigar o caráter imaginativo, do aluno, desenvolvendo sua competência leitora e aprimorando suas reflexões conceituais, sociais e epistemológicas sobre a
Física – e relacionar os elementos alegóricos e conjecturais presentes no livro, além de propor uma discussão sobre os aspectos históricos dessa teoria.
Palavras-chave: Ensino de Física, Ficção Científica, Teoria da Relatividade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/resa2010.v3i2.a21119

Apontamentos

  • Não há apontamentos.