ONDAS LÚDICAS ENSINAM CRIANÇAS NA BEIRA DO RIO AMAZONAS

Ronara Viana Cordovil, Huanderson Barroso Lobo, Paula Naranjo Da Costa, José Camilo Ramos De Souza

Resumo


O artigo procura abrir discussão analítica sobre o lúdico enquanto processo de ensino, viabilizando a aprendizagem de conhecimentos científicos no ensino de geografia. Discute o lúdico enquanto proposta continua de ensino e de aprendizagem, pela qual se objetiva que o estudante possa refletir o mundo vivido e passe a participar mais profundamente de toda aquisição de conhecimento em sala de aula, construindo o seu próprio saber de maneira criativa e significativa. Abre possibilidades aos estudantes das escolas ribeirinhas a contextualizar o que vivem, associando os conhecimentos empíricos, cotidianos aos conhecimentos científicos, ressignificando os seus saberes. Refletir pontos negativos e positivos da inserção do lúdico na prática do professor em sala de aula, como processo metodológico a partir de práticas dinâmicas. Essa discussão se embasa em Andrade (2013), Callai (2011), Silva, Mettrau e Barreto (2007), Kaercher (2014) os quais enfatizam práticas com atividades lúdicas que permitam aos estudantes realizar o exercício mental do pensar construindo conhecimentos científicos geográficos e críticos.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/resa2019.v12i2.a21519

Apontamentos

  • Não há apontamentos.