A feminilidade na psicanálise: a controvérsia quanto à primazia fálica

Paulo Vidal, Flávia Bonfim

Resumo


Na história da psicanálise, a postulação freudiana da primazia do falo na estruturação da sexualidade suscitou uma controvérsia quanto ao seu papel na feminilidade. Com o intuito de retraçarmos essa polêmica, apresentamos a elaboração freudiana, percorremos depois as formulações quanto ao devir-mulher de dois pós-freudianos, Klein e Jones, que especificaram a feminilidade não através da função fálica, mas pelo deslocamento da libido oral para os genitais. Finalmente, mostramos como Lacan interferiu nessa “querela do falo”, reconhecendo que uma mulher está inscrita mas não de todo na lógica fálica e introduzindo a noção de um gozo suplementar feminino.

Palavras-chave


Feminilidade; Falo; Psicanálise; Gozo suplementar

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: