Freud apresenta “o homem dos ratos”: imagens sob o prisma psicanalítico

Cristiane Juguero Martins, Maria Cristina Poli

Resumo


O tema da apresentação de pacientes, dispositivo clínico utilizado tanto pela psiquiatria quanto pela psicanálise, mostra-se como um importante ponto de partida para a discussão sobre as diferenças epistêmicas existentes entre estas duas áreas do conhecimento. Tal privilégio pode inicialmente ser relacionado ao fato de Freud ter presenciado as famosas apresentações de pacientes protagonizadas por Charcot na Salpêtrière, momento imediatamente anterior à criação da psicanálise. Porém, para além deste fato inaugural, permanece até hoje a polêmica discussão sobre a exposição de um paciente a um público, questão que direciona o cerne do debate para o lugar e a função das imagens no que concerne a estes dois discursos. Enquanto psicanalista Freud não praticou as apresentações de pacientes. No entanto, seus relatos de caso, entre eles o que ficou conhecido como "O homem dos ratos", funcionam como porta-voz do sujeito do inconsciente, mantendo viva a ruptura que produziu no discurso da ciência. Este núcleo vivo da psicanálise é o que Lacan buscava reeditar a cada apresentação de pacientes que realizava.

Palavras-chave


psicanálise; sujeito do inconsciente; apresentação de pacientes

Texto completo:

PDF PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: