Explorando as forças da escrita no acontecimento loucura

Regina Longaray Jaeger, Tania Galli Fonseca

Resumo


Neste estudo, apresentamos as análises dos encontros da pesquisadora com os escritos de uma mulher internada em um hospital psiquiátrico.  Traçamos um recorte cartográfico do agenciamento loucura para perceber os corpos nos quais se expressa o acontecimento escrever. Entendemos que a escrita se encarna em certos fluxos que compõem seu corpo; é efeito dos encontros com os elementos do mundo, que constituem o agenciamento loucura/doença mental. Exploramos as forças que se operam nas palavras e os modos que a escritora minora a língua Em alguns escritos destacamos as três condições relativas à literatura menor e da variação da língua: coletiva, desterritorializada, política.


Palavras-chave


cartografia esquizoanalítica; literatura menor; loucura

Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, G. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mille plateau: capitalisme et schizophrénie. Paris: Minuit, 1989.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Kafka: por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2005. v. 2.

DELEUZE, G.; PARNET, C. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.

FOUCAULT, M. A História da Loucura na Idade Clássica. São Paulo: Perspectiva, 1997.

FOUCAULT, M. Le pouvoir psychiatrique. Cours au Collège de France (1973-1974). Paris: Gallimard/Seuil, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: