Violências "sutis": jovens e grupos de pares na escola

Suzana Santos Libardi, Lucia Rabello de Castro

Resumo


Este trabalho trata das expressões “sutis” de violência que ocorrem entre os jovens na convivência em grupos de pares na escola. Foi realizada uma pesquisa empírica em duas escolas do Rio de Janeiro para conhecer os atos “sutis” de violência e qual a relação destes frente às normas da escola e as normas de convivência grupal – instituídas pelos próprios grupos de amigos. As análises dos resultados da pesquisa discutem o processo de naturalização das violências “sutis” e verificou-se que o revanchismo entre os grupos está intimamente relacionado às regras de convivência grupal e à inclusão ou permanência no grupo. A postura dos professores variou entre a negligência e a criminalização dos conflitos entre os estudantes, evidenciando como os adultos delimitam seus modos de intervenção junto aos jovens na escola hoje. Conclui-se que as possibilidades da geração mais nova de construir seu ethos de convivência se encontram severamente circunscritas à dinâmica de seu grupo de pares.


Palavras-chave


violência; grupo de pares; escola.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRE, I. J. Relações raciais: o explícito e o implícito nas interações entre alunos em uma escola pública. 2006. 132 f. Dissertação (Mestrado em Educação)–Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2006.

ANDRADE, F. C. B. de. Considerações psicanalíticas sobre a violência na escola. Aprender: Cad. de Filosofia e Psic. da Educação, Vitória da Conquista, ano I, n. 1, p. 57-66, 2003.

BARUS-MICHEL, J. A Violência complexa, paradoxal e multivoca. In: SOUZA, M. de; MARTINS, F. M. M. C.; ARAUJO, J. N. G. de. (Org.). Dimensões da violência: conhecimento, subjetividade e sofrimento psíquico. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 19-34.

BIRMAN, J. Cadernos sobre o mal. Rio de Janeiro: Record, 2009.

BLEGER, J. Grupos operativos no ensino. In: ______. Temas em Psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1980. p. 53-82.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BRINGIOTTI, M. I.; KRYNVENIUK, M.; LASSO, S. Las multiples violencias de la “violencia” en la escuela: desarrollo de un enfoque teorico y metodologico integrativo. Paidéia, [S.l.], v. 14, n. 29, p. 313-325, set./dez. 2004.

CAMACHO, L. M. Y. As sutilezas das faces da violência nas práticas escolares de adolescentes. Educação e Pesquisa, [S.l.], v. 27, n. 1, p. 123-140, jan./jun. 2001.

CAMACHO, L. M. Y.; BELTRAME, S. A. B. Usos e abusos da etnografia na educação. Revista reflexão e Ação, [S.l.], v. 5, n. 2, 1999.

CAMPOS, P. H. F., CAMPOS, D. T. F. Fetichização e banalização da violência: a clivagem do eu e a “foraclusão” do sujeito. In: SOUZA, M. de; MARTINS, F. M. M. C.; ARAUJO, J. N. G. de. (Org.). Dimensões da violência: conhecimento, subjetividade e sofrimento psíquico. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 129-150.

CAON, J. L. Mais perigosas são as feridas que não doem, não ardem nem sangram. In: HARTMANN, F.; ROSA JR., N. C. dal F. da (Org.). Violência e contemporaneidade. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2005. p. 99-116.

CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, [S.l.], v. 4, n. 8, p. 432-443, jul./dez. 2002.

COSTA, J. F. Violência e psicanálise. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

COSTA, J. F. Narcisismo em tempos sombrios. In: BIRMAN, J. (Org.). Percursos na História da Psicanálise. Rio de Janeiro: Taurus, 1988. p. 151-174.

COUTINHO, L. G. Adolescência e errância: destinos do laço social no contemporâneo. Rio de Janeiro: NAU / FAPERJ, 2009.

DAYRELL, J. et al. Juventude e Escola. In: SPOSITO, M. P. (Coord.). Estado da Arte sobre juventude e escola na pós-graduação brasileira: educação, ciências sociais e serviço social (1999-2006). Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009. v. 1, p. 57-125.

DEBARBIEUX, E. A violência da escola francesa: 30 anos de construção social do objeto (1967-1997). Educação e Pesquisa, [S.l.], v. 27, n. 1, p. 163-193, jan./jun. 2001.

FAGUNDES, J. O. A psicanálise diante da violência. In: SANDLER, P. C. (Org.). Leituras psicanalíticas da violência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004. p. 21-40. Coleção psicanálise clínica, sociedade.

FAZZI, R. C. O drama racial de crianças brasileiras: socialização entre pares e preconceito. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

GURSKI, R. Violência juvenil e laço social contemporâneo. Educação e Realidade, [S.l.], v. 37, n. 1, p. 233-249, jan./abr. 2012.

HOGEVEEN, B. R. Youth (and) Violence. Sociology Compass, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 463-484, 2007.

KEHL, M. R. (Org.). A função fraterna. Rio de Janeiro: RelumeDumará, 2000.

LEVISKY, D. L. Adolescência e violência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

MARIN, I. da S. K. Sofrimento e violência na contemporaneidade: destinos subjetivos. In: KHOURI, M. G. et al. (Org.). Leituras Psicanalíticas da Violência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004. p. 85-100.

MARRA, C. A. dos S. Violência escolar: a percepção dos atores escolares e a repercussão no cotidiano da escola. São Paulo: Annablume, 2007.

MARTINS, J. B. Observação participante: uma abordagem metodológica para a psicologia escolar. Semina: Ci. Soc./Hum, [S.l.], v. 17, n. 3, p. 266-273, 2005.

PINO, A. Violência, educação e sociedade: um olhar sobre o Brasil contemporâneo. Educ. Soci., [S.l.], v. 28, n. 100, p. 763-785, out. 2007.

SOUZA, M. L. R. de. Violência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005. Coleção Clínica Psicanalítica.

SPOSITO, M. P.; TOMMASI, L. de; MORENO, G. G. Adolescentes em processo de exclusão social. In: SPOSITO, M. P. (Coord.). Estado da Arte sobre juventude e escola na pós-graduação brasileira: educação, ciências sociais e serviço social (1999-2006). Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009. v. 1, p. 127-178.

STELKO-PEREIRA, A. L.; WILLIAMS, L. C. de A. Reflexões sobre o conceito de violência escolar e a busca por uma definição abrangente. Temas em Psicologia, [S.l.], v. 18, n. 1, p. 45-56, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: