Uma pesquisa sócio-clínica na França: notas sobre a Analise Institucional

Cinira Magali Fortuna, Gilles Monceau, Silvia Valentim, Khadija Lalah El Mennani

Resumo


Esse texto tem por objetivo apresentar e discutir o processo de produção de uma pesquisa socioclínica sobre a parentalidade, desenvolvida na França, em Gennevilliers, durante 2011 e 2012. Baseou-se no referencial teórico da análise institucional, linha socioclinica. Os dispositivos para a produção dos dados da pesquisa foram observação participante, grupos de discussão com profissionais e pais, entrevista em domicílio, entrevistas informais e sessões de restituição. O processo de montagem e desenvolvimento desse tipo de pesquisa indica uma permanente tensão a ser explorada entre a intencionalidade dos demandantes e dos pesquisadores, o que faz a análise de implicação indispensável.


Palavras-chave


análise institucional; pesquisa interdisciplinar; pesquisa participativa baseada na comunidade

Texto completo:

PDF

Referências


ALTOÉ, S. (Org.). René Lourau: analista institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004.

BONNY, Y.; DEMAILLY, L. (Org.). L’institution plurielle: le regard sociologique. Villeneuve d’Ascq: Septentrion, 2012.

CAMPOS, R. O. Fale com eles! o trabalho interpretativo e a produção de consenso na pesquisa qualitativa em saúde: inovações a partir de desenhos participativos. Physis, [online], v. 21, n. 4, p. 1269-1286, out./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2014.

ESCÓSSIA, L. O coletivo como plano de criação na Saúde Pública. Interface, (Botucatu), Botucatu, v. 13, supl. 1, p. 689-694, 2009. Disponível em : . Acesso em: 20 abr. 2014.

FORTUNA, C. M. et al. O enfermeiro e as práticas de cuidados coletivos na estratégia saúde da família. Rev. Latino-am. Enferm., v. 19, p. 581-588, 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2014.

FORTUNA, C. M. et al. Notas cartográficas do trabalho na Estratégia Saúde da Família: relações entre trabalhadores e população. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 657-664, jun. 2012.

FRANÇA. Site oficial da prefeitura de Genneviliers. 2013. Disponível em: Acesso em: 11 maio 2014.

FRANCO, T. B. Produção do cuidado e produção pedagógica: integração de cenários do sistema de saúde no Brasil. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 11, n. 23, p. 427-438, set./dez. 2007.

GUATTARI, F.; ROLNIK, S. Micropolítica: cartografias do desejo. São Paulo: Ática, 1985.

GUILLIER, D.; SAMSON, D. Implication: des discours d’hier aux pratiques d’aujourd’hui. Les Cahiers de l’implication. Revue d’analyse institutionnelle, [S.l.], n. 1, p. 17-29, 1997.

L’ABBATE, S. A análise institucional e a saúde coletiva. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 265-274, 2003.

LAMIHI, A.; MONCEAU, G. Instituition et Implication: l’oeuvre de René Lourau. Paris: Sylepse, 2002.

LAPASSADE, G. Grupos, organizações e instituições. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

LOURAU, R. Análise institucional. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

LOURAU, R. René Lourau na UERJ - 1993. Análise Institucional e Práticas de Pesquisa. Mnemosine, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2014.

LOURAU, R. O instituído contra o instituinte. In: ALTOÉ, S. (Org.). René Lourau: analista institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004. p. 47-65.

MENNANI, K. L. Pratiques des professionnels et dispositifs de soutien a la parentalité. Quelles places pour les parents et les enfants? Mémoire de recherche, master. Université Cergy-Pontoise, France, 2012.

MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.

MONCEAU, G. Transformar as práticas para conhecê-las: pesquisa-ação e profissionalização docente. Educação e Pesquisa, [online], v. 31, n. 3, p. 467-482, set./dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2014.

MONCEAU, G. Implicação, sobreimplicação e implicação profissional. Fractal, Rev. Psicol., Niterói, RJ, v. 20, n. 1, p. 19-26, jan./jun. 2008.

MONCEAU G. Travailler les interférences institutionnelles dans la ville. Diversité, [S.l.], n. 166, p. 42-47, 2011.

MONCEAU, G. (Org.). L’analyse institutionnelle des pratiques: une socio-

clinique des tourments institutionnels au Brésil et en France. Paris: L’Harmattan, 2012.

MOURÃO, L. C. et al. Análise institucional e educação: reforma curricular nas universidades pública e privada. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 98, p. 181-210, jan./abr. 2007.

NASCIMENTO, M. L; SCHEINVAR, E. Intervenção socioanalítica em conselhos tutelares. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010.

PAULON, S. M.; ROMAGNOLI, R. C. Pesquisar, Intervir, Cartografar: melindres e meandros metodológicos. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 10, p. 85-102, 2010.

PEREIRA, G. R. de M.; ANDRADE, M. da C. L. de. Socioanálise de pré-noções no discurso jornalístico sobre educação. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 28, p. 128-139, abr. 2005.

PEZZATO, L. M.; L’ABBATE, S. O uso de diários como ferramenta de intervenção da Análise Institucional: potencializando reflexões no cotidiano da Saúde Bucal Coletiva. Physis, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2014.

ROCHA, M. L. Psicologia e as práticas institucionais: a pesquisa intervenção em movimento. PSICO, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 169-174, maio/ago. 2006.

SPAGNOL, C. A.; L’ABBATE, S. Conflito organizacional: considerações teóricas para subsidiar o gerenciamento em enfermagem. Cienc Cuid Saude, [S.l.], v. 9, n. 4, p. 822-827, out./dez. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: