A arte de narrar a história de uma vida em Orhan Pamuk: possíveis aproximações com as ideias de Sigmund Freud

Jaquelina Maria Imbrizi, Fernanda Kanada Matsubara, Mayara Lima Ferreira da Silva

Resumo


Este ensaio objetiva discutir alguns trechos do livro Istambul: Memória e Cidade. Nessa obra, a arte de narrar a história de uma vida está em articular memória coletiva, trajetória singular e a hüzün, o afeto compartilhado pelos habitantes da cidade. As autoras exercitam a reflexão sobre o pensamento que está contido na arte da escrita e estabelecem possíveis aproximações “entre” dois campos diversos do saber: a literatura de Orhan Pamuk e a psicanálise de Sigmund Freud. Nessa aproximação, são destacados: a melancolia, o estranhamento e o processo de criação do romancista que faz eco com as pulsões de vida.


Palavras-chave


narrativa de história de vida; o pensamento da arte; melancolia; memória coletiva; literatura e psicanálise

Texto completo:

PDF

Referências


FAVARETTO, C. Deslocamentos: entre a arte e a vida. ARS, São Paulo, v. 9, n. 18, p. 94-109, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2014.

FREUD, S. Escritores criativos e devaneio (1908). In: SALOMÃO, J. (Org.). Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1976a. Edição Standard Brasileira, v. 9, p. 147-158.

FREUD, S. O ‘estranho’ (1919). In: SALOMÃO, J. (Org.). Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1976b. v. 17, p. 273-314.

FREUD, S. A transitoriedade (1916). In: SOUZA, P. C. de (Org.). Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010a. v. 12, p. 247-252.

FREUD, S. Luto e melancolia (1917). In: SOUZA, P. C. de (Org.). Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010b. v. 12, p. 170-194..

FREUD, S. O mal-estar na civilização (1930). In: SOUZA, P. C. de (Org.). Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010c. v. 18, p. 13-122.

FUKS, B. Freud e a cultura. São Paulo: J. Zahar, 2009.

HARVEY, D. O “novo” imperialismo: sobre rearranjos espaciotemporais e acumulação mediante despossessão. Margem Esquerda, São Paulo, n. 5, p. 31-41, 2005.

IMBRIZI, J. M.; MATSUBARA, F. K.; SILVA, M. Na companhia de Orhan Pamuk: contribuições da literatura para a produção de narrativa de história de vida. In: ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICAS SOCIAIS, POLÍTICAS PÚBLICAS E DIREITOS HUMANOS, 17., 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2013. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2014. Apresentação oral na Abrapso.

MARTINI. A.; COELHO JUNIOR, N. E. Novas notas sobre “O Estranho”. Tempo Psicanalítico, Rio de Janeiro, v. 42, n. 2, 2010. p. 371-402.

PAMUK, O. Istambul: memória e cidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2007a.

PAMUK, O. A maleta do meu pai. São Paulo: Companhia das Letras, 2007b.

RANCIÈRE, J. O inconsciente estético. São Paulo: Editora 34, 2009.

SOUZA, E. L. (2001). Uma estética negativa em Freud. In: SOUZA, E.; TESSLER, E.; SLAVUTSKY, A. (Org.). A invenção de si e do mundo: arte e psicanálise. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2001. p. 125-133.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: