Fabricar o humano

Cristiane Oliveira

Resumo


O texto faz a resenha do livro A Fabricação do Humano:  Psicanálise, Subjetivação e Cultura, que tem por objetivo  oferecer ao leitor um rico panorama no qual diferentes análises sobre a fabricação de experiências contemporâneas em torno de montagens subjetivas atestam ou problematizam a inconsistência ontológica do humano. A tolerância epistemológica, a suposição de imanência da alteridade na fabricação do humano e atitude genealógica são marcas que atravessam os capítulos deste livro na análise de diferentes objetos de pesquisa. O livro contribui para a reflexão crítica sobre os impasses subjetivos na atualidade, oferecendo um arguto diagnóstico do presente.

Palavras-chave


psicanálise; subjetivação; cultura; alteridade

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. O aberto: o homem e o animal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BIRMAN, J. Entre cuidado de si e saber de si: sobre Foucault e a Psicanálise. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000.

BIRMAN, J. O mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. 4. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2003.

FOUCAULT, M. Sécurité, territoire, population: cours au Collège de France [1977-1978]. Paris: Seuil/Gallimard, 2004.

FREUD, S. O Estranho (1919). In: SALOMÃO, J. (Org.). Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. 3. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1990. Edição Standard Brasileira, v. 17, p. 273-314.

HAWARAY, D. A cyborg manifesto: Science, technology and social feminist in the late twentieth century. In: BELL, D; KENNEDY, B. The Cibercultures reader. London: Routledge, 2000. p. 291-324.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: