O desenvolvimento de uma pesquisa- intervenção com uma comunidade urbana

Robert E. Snyder, Luiza Rodrigues de Oliveira, Carlos Dimas Martins Ribeiro, Mara Ribeiro Corrêa, Claudete A. A. Cardoso, Fabio Aguiar Alves, Rose Mary Latini

Resumo


Este artigo analisa o desenvolvimento de uma pesquisa no campo da Epidemiologia, na interface com a psicologia histórico-cultural, que teve como cenário uma comunidade urbana. A pesquisa pretendia comparar a carga das doenças relacionadas ao diabetes mellitus, a fim de, posteriormente, promover uma prática em saúde, o que significa uma divisão entre diagnóstico e intervenção. Entretanto, durante o processo, uma pesquisa, alternativa a este modelo diagnóstico, foi sendo produzida no processo dialógico entre os envolvidos. Esta prática - nomeada de pesquisa-intervenção - trouxe à cena o caráter construtivo do conhecimento e produziu “zonas de sentido”, que engendraram formas novas para a pesquisa e para a prática em saúde. Estas transformações exigiram também novos percursos epistemológicos, o que nos aproximou da psicologia histórico-cultural de Vigotski, da pedagogia de Freire e da filosofia da linguagem de Bakhtin.


Palavras-chave


pesquisa-intervenção; diabetes; saúde; epidemiologia; psicologia

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINÓV, V. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 13. ed. São Paulo: HUCITEC, 2009.

BECKER, H. Métodos de pesquisa em ciências sociais. 2. ed. São Paulo: HUCITEC, 1993.

BERTONI, A. G.; SAYDAH, S.; BRANCATI, F. L. Diabetes and the risk of infection-related mortality in the U.S. Diabetes Care, USA, v. 24, n. 6, p. 1044-1049, June 2001. CrossRef

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto, 1994.

BRAGA, E. D. V. et al. High prevalence of Staphylococcus aureus and methicillin-resistant S. aureus colonization among healthy children attending public daycare centers in informal settlements in a large urban center in Brazil. BMC Infectious Diseases, London, v. 14, n. 538, p. 1-10, 2014.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em: 30 abr. 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2012: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. (Cadernos de Atenção Básica, n. 36). Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_36.pdf. Acesso em: 13 mar. 2016.

ANDRE, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 2005.

FERNANDES, M. C. P.; BACKES, V. M. S. Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde da Família sob a óptica de Paulo Freire. Rev Bras Enferm., São Paulo, v. 63, n. 4, p. 567-573, maio 2010. CrossRef

FREIRE, P. Criando métodos de pesquisa alternativa: aprendendo a fazê-la melhor através da ação. In: BRANDÃO, C. (Org.). Pesquisa Participante. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986. p. 34-41.

GASKIN, D. J. et al. Disparities in diabetes: the nexus of race, poverty, and place. American Journal of Public Health, Washington DC, v. 104, n. 11, p. 2147-2155, Nov. 2014. CrossRef

GONZÁLEZ REY, F. L. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. Tradução de Marcel Aristides Ferrada Silva. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

HAMILTON, E. J. et al. Incidence and Predictors of Hospitalization for Bacterial Infection in Community-Based Patients with Type 2 Diabetes: The Fremantle Diabetes Study. PLoS ONE, Washington DC, v. 8, n. 3, e60502, Mar. 2013. CrossRef

HARRIS, E. Building scientific capacity in developing countries. EMBO reports, Heidelberg, v. 5, n. 1, p. 7-11, 2004. CrossRef

JOSHI, N. et al. Infections in patients with diabetes mellitus. New England Journal of Medicine, Boston, v. 341, n. 25, p. 1906-1912, 1999. CrossRef

MELLO, D.A. et al. Promoção à saúde e educação: diagnóstico de saneamento através da pesquisa participante articulada à educação popular (Distrito São João dos Queiróz, Quixadá, Ceará, Brasil). Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 583-595, jul./set. 1998. CrossRef

MORI, V. D.; GONZÁLEZ REY, F. L. A saúde como processo subjetivo: uma reflexão necessária. Psicologia: teoria e prática, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 140-152, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872012000300012. Acesso em: 16 mar. 2016.

MULLER, L. M. A. J. et al. Increased risk of common infections in patients with type 1 and type 2 diabetes Mellitus. Clinical Infectious Diseases, Oxford, v. 41, n. 3, p. 281-288, 2005. CrossRef

MURRAY, C. J. L. et al. Disability-adjusted life years (DALYs) for 291 diseases and injuries in 21 regions, 1990-2010: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2010. Lancet, Amsterdam, v. 380, n. 9859, p. 2197-2223, dez. 2012. CrossRef

NITERÓI ANTIGO. Disponível em: https://www.facebook.com/NiteroiAntigo. Acesso em: 22 nov. 2016.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Declaração de Alma-Ata. Conferência Internacional sobre cuidados primários de saúde; 6-12 de setembro 1978. Disponível em: http://prosaude.org/pub/diversos/Declaracoes_e_carta_portugues.pdf. Acesso em: 13 maio 2016.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Carta de Ottawa. Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde. Ottawa, novembro de 1986. Disponível em: http://www.opas.org.br/carta-de-ottawa/. Acesso em: 13 maio 2016.

RILEY, L. W. et al. Slum health: diseases of neglected populations. BMC International Health and Human Rights, London, v. 7, n. 2, p. 1-6, 2007. CrossRef

ROCHA, M. L. Psicologia e as práticas institucionais: a pesquisa-intervenção em movimento. Psico, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 169-174, maio/ago. 2006. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/teo/ojs/index.php/revistapsico/article/view/1431/1124. Acesso em: 12 abr. 2016.

ROCHA, J. L. L et al. Aspectos relevantes da interface entre diabetes mellitus e infecção. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 221-229, 2002. CrossRef

SAWAIA, B. B. Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e transformação social. Psicologia Sociedade, Belo Horizonte, v. 21, n. 3, p. 364-372, 2009. CrossRef

SILVA, L. A. V. Saúde e produção de sentidos no cotidiano: práticas de mediação e translingüística bakhtiniana. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 7, n. 13, p. 135-146. CrossRef

SMOLKA, A. L. Apresentação e Comentários. In: VIGOTSKI, L. S. Imaginação e Criação na Infância. São Paulo: Ática, 2010. p. 7-10.

SOUZA, R. M. Histórico do prédio do Arquivo Central do Núcleo de Documentação da UFF. Disponível em: http://www.ndc.uff.br/OLD2013/repositorio/Hist%F3rico%20do%20pr%E9dio%20do%20Arquivo.pdf. Acesso em: 22 maio 2016.

TAUNAY, A. E. Memórias do Visconde de Taunay. São Paulo: Instituto Progresso, 1948.

TRAVERSO-YÉPEZ, M. A. Dilemas na promoção da saúde no Brasil: reflexões em torno da política nacional. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 11, n. 22, p. 223-238, ago. 2007. CrossRef

VIGOTSKI, L. Teoria e Método em Psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

VIGOTSKI, L. Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, Campinas, v. 21, n. 71, p. 21-44, jul. 2000.

VIGOTSKI, L. Imaginação e Criação na Infância. São Paulo: Ática, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: