"Mulher joga filho na lixeira": mulher-mãe infanticida na mídia

Kátia Alexsandra dos Santos, Leda Verdiani Tfouni

Resumo


Este trabalho parte de uma inquietação acerca dos dizeres que vêm se constituindo na mídia sobre a mulher em seu papel de mãe em nossa sociedade. Trabalhando na articulação entre a Análise do Discurso e a psicanálise lacaniana, nosso corpus de pesquisa constituiu-se de manchetes de notícias sobre abandono e infanticídio, divulgadas em portais eletrônicos. Tivemos como objetivo central analisar a discursivização da mulher-mãe, a partir do conceito de genérico discursivo e também observar se as manchetes analisadas produzem efeitos que podem ser compreendidos como elementos indiciários de que A mulher, enquanto conjunto, não existe. A análise indicou que as notícias constituem-se como acontecimentos que fogem ao discurso vigente e colocam-se como indícios a serem observados, por apontarem para um deslocamento na contemporaneidade. Esse processo ratifica a existência do grupo das mulheres-mães, mas ao mesmo tempo indica um furo nesse grupo pretensamente homogêneo.


Palavras-chave


mulher-mãe; infanticídio; análise do discurso; genéricos discursivos; psicanálise lacaniana

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, S. “Ela não tem sentimento”, diz delegada sobre mulher que deixou bebê em carro. R7.com, 30 mar. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2012.

ARAÚJO, G. Delegado diz que mãe confessou ter cortado filho ao meio no Piauí. G1, 23 nov. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2012.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BADINTER, E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BARBOSA, R. Mãe joga recém-nascido pela janela e bebê morre no RN, segundo a polícia. G1, 19 nov. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2012.

BIRMAN, J. Cartografias do feminino. São Paulo: Editora 34, 1999.

CACHORRO devora bebê recém-nascido em Guarapuava. CGN, 15 maio 2013. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2013.

CHARAUDEAU, P. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

CHORODOW, N. Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2002.

ELA atrapalhava minha vida, diz adolescente que confessou ter matado a filha a pedradas em Alagoas. R7.com, 17 jul. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2013.

Eurípedes. Medéia. Tradução de Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.

FINK, B. O sujeito lacaniano: entre a linguagem e o gozo. Tradução de Maria de Lourdes Sette Câmara. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1998.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: o cuidado de si. 7. ed. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 2002. v. 3.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: a vontade de saber. 15. ed. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 2003. v. 1.

FREUD, S. Totem e Tabu (1913). In: ______. Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1974. v. 13, p. 13-194. Edição Standard Brasileira.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: ______. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. p. 143-179.

LACAN, J. O aturdito (1973). In: ______. Outros Escritos. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2003. p. 448-497.

LACAN, J. O Seminário: mais, ainda. 3. ed. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2008. livro 20.

LAURENT, D. O sujeito e seus parceiros libidinais: do fantasma ao sintoma. Revista Eletrônica do Núcleo Sephora, ano 1, n. 2, maio/out. 2006. Disponível em: . Acesso em: 7 jul. 2007.

MÃE que abandonou criança em lixeira já teria tentado afogar bebê. R7.com, 25 abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2012.

MOURA, A. Mulher joga filhos de 4 e 7 anos do 15º andar e alega que estava de saco cheio das crianças. Meionorte.com. 26 jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2013.

MULHER deixa filho morrer enquanto ficou na internet batendo papo. R7.com, 29 jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2012.

Orlandi, E. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 7. ed. Campinas: Pontes, 2007.

Pêcheux, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução de Eni P. Orlandi. 5. ed. Campinas: Pontes, 2008.

Pêcheux, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni P. Orlandi et al. 4. ed. Campinas: UNICAMP, 2009.

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso. In: GADET, F; HAK, T (Org.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução de Bethania Mariani et al. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2014. p. 59-158.

Pêcheux, M.; Fuchs, C. A propósito da análise automática do discurso: atualização e perspectivas. In: GADET, F; HAK, T. (Org.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução de Bethania Mariani et al. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2014. p. 159-249.

Priore, M. L. M. Ao sul do corpo: condição feminina, maternidade e mentalidades no Brasil Colônia. 2. ed. São Paulo: Unesp, 2009.

RO: irritada com choro, mulher mata e joga a filha em caixa d’água. Terra, 23 maio 2013. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2013.

Scott, J. História das Mulheres. In: BURKE, P. (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. Tradução de Magda Soares. São Paulo: Unesp, 1992. p. 63-96.

Tfouni, L. V. O dado como indício e a contextualização do (a) pesquisador (a) nos estudos sobre a compreensão da linguagem. Delta: Revista de Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 205-223, 1992.

Tfouni, L. V. Letramento e alfabetização. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

Tfouni, L. V. Letramento e autoria: uma proposta para contornar a questão da dicotomia oral/escrito. Revista da ANPOLL, Campinas, v. 18, p. 127-141, 2005. CrossRef.

Tfouni, F.E.V.; Tfouni, L.V. “Entra burro; sai ladrão”: o imaginário sobre a escola materializado nos genéricos. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 7, n. 2, p. 293-312, maio/ago. 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2013.

Valota, R. Estudante dá à luz e joga bebê na lixeira de prédio no rio. Estadão, São Paulo, 10 jan. 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 nov. 2012.

Venâncio, R. P. Maternidade negada. In: PRIORE, M. D; PINSKY, C. História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 189-222.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v29i3/1421

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: