Narrativas da docência: dimensão sensível do trabalho de professores e pesquisadores

Maria Elizabeth Barros de Barros, Janaina Madeira Brito, Ozilene Pereira Clemente

Resumo


O artigo traz fios de uma experiência na iniciação científica em Psicologia, onde a vida na docência, o cotidiano e o trabalho na Educação se expressam nas narrativas produzidas pela pesquisadora e professores. Trata-se da experimentação da narrativa, inspirada no pensamento do filósofo Walter Benjamin, como metodologia de aproximação ao campo do trabalho na Educação. A narratividade é uma modalidade de pesquisa-intervenção, que produz um campo de afetos entre pesquisador-campo, resultando uma contribuição situada para a formação do pesquisador. Intercessores da Clínica da Atividade francesa e da Psicologia Institucional entram no diálogo sobre o trabalho em escola. Esta experiência traz a perspectiva sensível para o campo de estudos sobre o trabalho docente a partir dos efeitos na formação de jovens pesquisadores.


Palavras-chave


práticas de pesquisa; docência; narratividade

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, M. E. B.; RONCHI-FILHO, J.; ROSEMBERG, D. S. (Org.). Trabalho docente e poder de agir: clínica da atividade, devires e análises. Vitória: EDUFES, 2011.

BARROS, M. E. B. Modos de gestão e produção de subjetividade. In: BARROS, M.; ABDALLA, M. (Org.). Mundo e sujeito: aspectos subjetivos da globalização. São Paulo: Paulus, 2004. p. 93-114.

BENJAMIN, W. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: ______. Magia e técnica, arte e política. 7. ed. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994. v. 1, p. 197-221. Obras escolhidas.

BONALDI, C.; BRITO, J.; BARROS, M. E. B. Saúde e trabalho nas escolas: a ação do sindicato de professores do ES. Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 15, n. 30, p. 72-98, dez. 1995.

CLOT, Y. Introdução: questão de ofício. In: ______. Trabalho e poder de agir. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010. p. 1-44.

CLOT, Y. Clínica do trabalho e clínica da atividade. In: CLOT, Y.; BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. P. (Org.). Clínicas do trabalho: novas perspectivas para a compreensão do trabalho na atualidade. São Paulo: Atlas, 2011. p. 71-83.

DELEUZE, G. Do arquivo ao diagrama. In: ______. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2005. p. 13-33.

FERREIRA. M. F. Walter Benjamin e a questão das narratividades. Mnemosine, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 121-133, 2011.

FOUCAULT. M. O que são as luzes? In: MOTTA, M. B. (Org.). Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005. Coleção Ditos & Escritos, v. 2, p. 335-351.

LINHARES, C. Democracia cognitiva, poética e formação docente. Cadernos de Pesquisa em Educação, Vitória, v. 16, n. 32, p. 154-183, dez. 1995.

GAGNEBIN, J. M. Prefácio: Walter Benjamin ou a história aberta. In: BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994. v. 1, p. 7-19. Obras escolhidas

KASTRUP, V. A cognição contemporânea e a aprendizagem inventiva. In: KASTRUP, V.; TEDESCO, S.; PASSOS, E. Políticas da cognição. Porto Alegre: Sulina, 2008. p. 93-112.

OLIVEIRA, I. B. de. (Org.). Narrativas: outros conhecimentos, outras formas de expressão. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2010.

PASSOS, E.; BARROS, R. A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓCIA, L. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulinas, 2012. p. 17-31.

RODRIGUES, H. B. C. Analisar. In: FONSECA, T. M. G.; NASCIMENTO, M. L; MARASCHIN, C. Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Sulina, 2012. p. 37-39.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v30i1/1479

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: