A emergência da reação estética da criança na atividade musical

Zoia Ribeiro Prestes, Elizabeth Tunes, Patrícia Pederiva, Carla Terci

Resumo


Com base na psicologia histórico-cultural, o presente projeto teve por objetivo estudar a emergência da reação estética na criança. Para tanto, foram realizadas sessões de audição musical dialogada com crianças na faixa etária dos sete aos doze anos de idade. Elas ouviam alguns trechos de composições musicais previamente escolhidos pelos pesquisadores e, em seguida, seu diálogo com eles foi gravado por meio de vídeos. Foram observadas suas reações (gestos, expressões e comentários), no decorrer da audição e, após, indagou-se se sentiram ou não alguma emoção e, em caso positivo, se conseguiam identificar quais foram as reações emocionais sentidas. Os dados obtidos foram analisados com vistas à descrição de suas reações e com base nos estudos da teoria histórico-cultural. Verificou-se, ao longo da análise dos resultados, que as sessões de audição musical dialogada mostram-se uma atividade adequada para o estudo da emergência da reação estético-musical na criança a partir de sete anos de idade.


Palavras-chave


reação estética; desenvolvimento; criança

Texto completo:

PDF

Referências


BLACKING, J. Music, Culture and Experience: selected papers of John Blacking. Chicago: The University of Chicago Press, 1995.

CARRASCO, N. Sygkronos: a formação da poética musical do cinema. São Paulo: Via Lettera/FAPESP, 2003.

ELLIOT, D. Musical understanding, musical works and emotional expression: implication for education. In: LINES, D. (Ed.). Music education for the new millennium. Oxford: Blackwell, 2005. p. 91-102.

GREEN, L. Musical meaning and social reproduction: a case for retriaving autonomy. In: LINES, D. (Ed.). Music education for the new millennium. Oxford: Blackwell, 2005. p. 75-90.

HEGEL, F. Cursos de estética. São Paulo: EdUSP, 2002. v. 3.

MEYER, L. Emotion and meaning in music. Chicago: Chicago Press, 1984.

PEDERIVA, P. L. M.; TUNES, E. Da atividade musical e sua expressão psicológica. Curitiba: Appris/Prisma, 2013.

PRESTES, Z. R. Quando não é quase a mesma coisa: traduções de Lev Semionovitch Vigotski no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 dez. 2016.

PRESTES, Z. R.; TUNES, E. A trajetória de obras de Vigotski: um longo percurso até os originais. Revista Estudos de Psicologia, Campinas, v. 29, n. 3, p. 327-340, jul./set. 2012. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2012000300003

VIGOTSKI, L. S. Psicologia da arte. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, L. S. Psirrologuia razvitia rebionka. Tradução livre de Zoia Ribeiro Prestes. Moskva: Eksmo, 2004.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v30i1/1496

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: