A devolutiva como exercício ético-político do pesquisar

Ueberson Ribeiro Almeida, Janaína Mariano César, Luzimar Dos Santos Luciano, Pedro Henrique Carvalho

Resumo


Apresenta a problemática da devolutiva em uma pesquisa realizada com professores(as) de uma escola da Rede Pública. Experimenta a devolutiva como exercício que inclui a todos no processo de produção do conhecimento sobre o trabalho escolar e não apenas como mera devolução de dados ao final da investigação. Trabalha metodologicamente com a produção de um quadro-dispositivo construído na escola. Problematiza a devolutiva como questão ética e modo de se relacionar com a produção do conhecimento em pesquisa-intervenção. Produz deslocamentos dos “lugares” tradicionalmente ocupados na relação “pesquisador-pesquisado”, forjando inflexões no modelo dualista de fazer pesquisa e de “devolver dados” ao campo.


Palavras-chave


devolutiva; pesquisa-intervenção; escola

Texto completo:

PDF

Referências


ALAMI, S.; DESJEUX, D.; GARABUAU-MOUSSAOUI, I. Os métodos qualitativos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. 9. ed. Campinas, SP: Papirus, 2003.

BECKER, H. S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Hucitec, 1997.

CONTRERAS DOMINGO, J. La investigación en la acción: Qué és? Cuadernos de Pedagogía, n. 224, p. 8-12, 1994.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Foucault, historiador do presente. In: ESCOBAR, C. E. (Org.). Dossier Deleuze. Rio de Janeiro: Hólon, 1991.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. O que é um dispositivo? O mistério de Ariana. Lisboa: Vega-Passagens, 1996.

DESPRET, V. Leitura etnopsicológica do segredo. Fractal: Revista de Psicologia, Niterói, v. 23, n. 1, p. 5-28, jan./abr. 2011. doi: 10.1590/S1984-02922011000100002

FERREIRA, G. A. Dicionário de latim-português. Lisboa: Porto, 1983.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

FURLAN, R. A questão do método na psicologia. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 1, p. 25-33, jan./mar. 2008.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 1991.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

LATORRE, A. La investigación-acción: conocer y cambiar a la práctica educativa. Barcelona: Graó, 2003.

LOURAU, R. Analista institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004.

MACEDO, R. S. A etnopesquisa crítica e multirreferencial nas ciências humanas e na educação. Salvador: Edufba, 2000.

MEA, G. Dicionário de italiano-português. Lisboa: Porto, 2000.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

MOROZ, M.; GIANFALDONI, M. O processo de pesquisa iniciação. Brasília: Liber, 2006.

PASSOS, E.; BARROS, R. B. A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. da. (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 17-31.

RICHARDSON, R. J. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SPINELLI, V.; CASASANTA, M. Dicionário completo italiano-português (brasileiro) e português (brasileiro)-italiano. Milão: UbricoHoepli, 1962.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v30i2/5527

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: