Lugar e identidade na experiência migrante: entre eventualidade e transitoriedade / Place and Identity on Migrant Experience: Between eventuality and transience

Priscila Marchiori Dal Gallo

Resumo


Propomos pensar a migração  refetindo sobre a  relação constituinte dos  lugares,  isto é, a relação ser-lugar. Relação esta que se confgura como  o  fundamento  das  questões migratórias.  Atentar  a  essa dimensão espaço-existencial do fenômeno migratório nos faz pensá-lo à  luz da ontologia. Tal posicionamento nos conduz a  refetir quais as  implicações sobre  a  segurança  ontológica  que  o  ato  de migrar engendra. Como o migrante negocia a continuidade do seu ser-e-estar-no-mundo.  Entendemos  que  essa negociação  envolve  a  busca  pela continuidade da narrativa existencial do migrante. Esta está embasada na constituição dos  lugares. O ser é sempre um ser-aí, a narrativa do lugar se  co-institui numa unidade  indivisível  com a narrativa do ser. Buscamos  refetir  tal negociação a partir da  identidade, entendendo esta  não  de  forma  abstrata, mas  como  a união  de  uma  unidade:  o migrante consigo mesmo, ser ele mesmo o mesmo.

Palavras-chave


migração, narrativa existencial, identidade, segurança ontológica, fenomenologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2011.11.a12807

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.