Sabor & Paisagem à Luz de Bachelard: convite para sentar-se à mesa / Flavour and landscape in the light of Bachelard

Lúcia Helena Batista Gratão

Resumo


O texto que se apresenta segue pelo campo de exploração da paisagem à luz de Bachelard no sentido de (con)ceder ao saber geográfico o lugar que ocupa o sabor permeado pela memória e pelo imaginário. Um atravessar de mundos (mundo da filosofia e mundo da geografia) procurando dar passagem aos sonhos e devaneios que circunscrevem o campo da poética, buscando decifrar o sabor como essência da terra evocando a casa onírica. Sabor e paisagem no prolongamento de sentidos e extensão do espaço telúrico. Transcurso que se faz pela escrita da terra enquanto significado de geografia. Uma geografia feita por si mesma. Uma geografia feita no confronto com os lugares existenciais. Uma geografia impregnada de valores existenciais enraizados pelo sabor.


Palavras-chave


Lugar. Imaginação geográfica. Poética da geografia. Geografia Humanista

Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do devaneio. (Trad. Antonio de Padua Danesi). São Paulo: Martins Fontes, 1988a.

______. A poética do espaço. (Trad. Antonio de Padua Danesi). São Paulo: Martins Fontes, 1988b.

______. A água e os sonhos - ensaio sobre a imaginação da matéria. (Trad. Antonio de Padua Danesi). São Paulo: Martins Fontes, 1989.

______. A terra e os devaneios do repouso: ensaio sobre as imagens da intimidade. (Trad. Paulo Neves da Silva). São Paulo: Martins Fontes, 1990.

______. O direito de sonhar. (Trad. J. Américo Motta Pessanha). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

BAILLY, Antoine; SCARIATI, Renato. Voyage en géographie – une géographie pour le monde, une géographie pour tout le monde. Paris: Ed. Economica, 1999.

BELLUZO, Rosa. São Paulo: memória e sabor. São Paulo: Ed. UNESP, 2008.

CORALINA, Cora. Poemas dos becos de Goiás e estórias mais. São Paulo: Global, 1987.

______. Villa Boa de Goyaz. São Paulo: Global, 2003.

COUTO, Mia. Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

DARDEL, Eric. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. (Trad. Werther Holzer). São Paulo: Perspectiva, 2011.

FERNANDES, Hercília M.; MENEZES, A. B. N. T. de. Cecília Meireles e o fenômeno criador: reflexões para a lírica pedagógica à luz de Bachelard. In: 18 EPENN - Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste, Maceió, 2007.

GRATÃO, Lúcia Helena. A poética d’ “O RIO” – ARAGUAIA! de cheias... & vazantes... (à) luz da imaginação! 2002. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

GRATÃO, Lúcia Helena. O direito de sonhar em geografia – à luz bachelardiana. In: Encontro Nacional de Geógrafos, Anais, São Paulo, 2008.

_______. Por Entre Becos & Versos – a poética da cidade vi(vi)da de Cora Coralina. In: MARANDOLA JR. e GRATÃO, Lúcia Helena. (Orgs). Geografia & literatura – ensaios sobre geograficidade, poética e imaginação. Londrina: EDUEL, 2010a.

_______. Bachelard telúrico – uma leitura à luz dos devaneios do repouso. In: Encontro Nacional de Geógrafos – ENG, Anais, Porto Alegre, 2010b.

_______. Lúcia Helena B. “O Rio” – ARAGUAIA! pela perspectiva da geopoética. In: ALVES, Ida F.; FEITOSA, Marcia M. M. Literatura e paisagem: perspectivas e diálogos (Org). Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2010c.

GRATÃO, Lúcia Helena B.; MARANDOLA JR., Eduardo Sabor da, na e para a geografia. In: Encontro Nacional de Pós-Graduação – ENANPEGE, Anais. Porto Alegre, 2009.

HOLZER, Werther. A geografia fenomenológica de Eric Dardel. In: DARDEL, Eric. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. (Trad. Werther Holzer). São Paulo: Perspectiva, 2011, p. 141-159.

HOLZER, Werther. Uma discussão fenomenológica sobre os conceitos de paisagem e lugar, território e meio ambiente. Território, ano II, n. 3, jul/dez, 1997.

HOLZER, Werther. Paisagem, imaginário, identidade: alternativas para o estudo geográfico. In: ROENDAHL, Z. ; CORRÊA, L. (Orgs). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1999.

JOYES, Claire. À mesa com Monet. (Trad. Ana Maria Sarda e Maria Cecília d’Egmont) Rio de Janeiro: Sextante, 2010.

KELLY, Ian. Carême: cozinheiro dos reis. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

NEPOMUCENO, Rosa. O Brasil na rota das especiarias: o leva e traz de cheiros, as surpresas da nossa terra. Rio de Janeiro: José Olímpio, 2006.

ONFRAY, Michel. Teoria da viagem: poética da geografia. (Trad. Paulo Neves) Porto Alegre, RS: L&PM, 2009.

PESSANHA, J. Américo Motta. Bachelard e Monet: o olho e a mão. In: NOVAES, Adauto (org.) O olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

STRONG, Roy. Banquete: uma história da culinária, dos costumes e da fartura à mesa. Rio de Janeiro: Zahar Ed. 2004.

RODRIGUES, Victor H. G. Quimica na Cozinha: uma conversa com professores, pesquisadores, alunos e técnicos do curso de Química da FURG. Didática sistêmica, vol. 1, out/dez., 2005a, p. 1-6.

RODRIGUES, Victor Hugo G. Gaston Bachelard e a sedução poética: a criação de um filosofar onírico. In: Revista Eletrônica Mestrado em Educação Ambiental. v. 15, julho a dezembro de 2005b. Disponível em: Acesso em: 05/02/2007.

TUAN, Yi-Fu. Topophilia or, sudden encounter with landscape. Landscape, v. 11, n. 1, p. 29-32, 1961.

_______. Topofilia - um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. (Trad. Lívia de Oliveira) São Paulo: Difel, 1980.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2012.21.a12819

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.