Place in Urwind: a humanistic geographical view / Lugar em Urwind: uma perspectiva humanista

Pauli Tapani Karjalainen

Resumo


A questão do lugar é uma interseção entre disciplinas e artes. A Geografia Humanista define o lugar como um centro de significados construído pela experiência. Em termos existenciais, lugar se realiza como um conjunto de relações ambientais criadas no processo de habitar humano. Lugar é conectado internamente com o tempo e o eu, para que os três façam uma trama tríplice escrita pela sensação íntima, do individual diretamente para o profundo encontro pessoal com o mundo. Exemplos de como a sensação íntima funciona em muitas camadas da realidade do lugar pode ser composto a partir da literatura criativa. Bo Carpelan (1926-2011) é um poeta e romancista finlandês-sueco. Seu romance "Urwind" (1993) oferece um mundo imaginário no qual vagar. Neste artigo, o romance vai ser lido a partir de três perspectivas: mimética, hermenêutica e textual. Os 'mapas' assim produzidos refletem diferentes reinos de lugar, desde o realista retratando o território através da interpretação da experiência inter-textual da “dança do significado”. As três perspectivas utilizadas na leitura do romance refletem ao mesmo tempo faces dos lugar nos estudos geográficos em geral. A título de “geografia literária” vamos, assim, dar uma olhada em diferentes metodologias geográficas.


Palavras-chave


Lugar. Sensoriamento Íntimo. Tempo. Eu. Geografia e Literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2012.22.a12853

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.