Place in Urwind: a humanistic geographical view / Lugar em Urwind: uma perspectiva humanista

Pauli Tapani Karjalainen

Resumo


A questão do lugar é uma interseção entre disciplinas e artes. A Geografia Humanista define o lugar como um centro de significados construído pela experiência. Em termos existenciais, lugar se realiza como um conjunto de relações ambientais criadas no processo de habitar humano. Lugar é conectado internamente com o tempo e o eu, para que os três façam uma trama tríplice escrita pela sensação íntima, do individual diretamente para o profundo encontro pessoal com o mundo. Exemplos de como a sensação íntima funciona em muitas camadas da realidade do lugar pode ser composto a partir da literatura criativa. Bo Carpelan (1926-2011) é um poeta e romancista finlandês-sueco. Seu romance "Urwind" (1993) oferece um mundo imaginário no qual vagar. Neste artigo, o romance vai ser lido a partir de três perspectivas: mimética, hermenêutica e textual. Os 'mapas' assim produzidos refletem diferentes reinos de lugar, desde o realista retratando o território através da interpretação da experiência inter-textual da “dança do significado”. As três perspectivas utilizadas na leitura do romance refletem ao mesmo tempo faces dos lugar nos estudos geográficos em geral. A título de “geografia literária” vamos, assim, dar uma olhada em diferentes metodologias geográficas.


Palavras-chave


Lugar. Sensoriamento Íntimo. Tempo. Eu. Geografia e Literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2012.22.a12853

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.