Cartografias pessoais e experiência urbana: um estudo sobre a imagem da cidade de Campinas / Personal cartographies and urban experience: a study on the image of the Campinas city

Luiz Tiago De Paula

Resumo


Qual é a primeira imagem que lhe vem à mente ao pensar em sua cidade natal? São muitas? Poucas? Uma? Se fosse possível cartografá-la(s), qual seria(m) a(s) imagem(s) que você mesmo faz de sua cidade. Os mapas, para além das cartografias mais técnicas e tradicionais, servem também para expressar como percebemos e concebemos nossa cidade. Uma cartografia da experiência urbana estaria comprometida a entender como cada cidadão estabelece distintas relações com os seus lugares, construindo imagens e percepções próprias da morfologia e paisagem da cidade. É na tentativa de mapear estas vivências, que buscamos revelar as cartografias pessoais de Campinas.


Palavras-chave


Geografia Humanista; Fenomenologia; Forma; Mapa; Experiência Urbana.

Texto completo:

PDF

Referências


BANERJEE, T.; SOUTHWORTH, M. (eds.) City Sense and City Design: writings and projects of Kevin Lynch. Cambridge, MA: The MIT Press, 1991.

BRESCIANI, M. S. A cidade: objeto de estudo e experiência vivenciada. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.6, n.2, p.9-26, 2004.

BUTTIMER, A. Aprendendo o dinamismo do mundo vivido. In: CHRISTOFOLETTI, Antonio (Org.) Perspectivas da geografia. São Paulo: Difel, 1985.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 5ª Ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CLAVAL, P. Uma, ou algumas, abordagem(ns) cultural(is) na Geografia Humana? In: Espaços culturais: vivências, imaginações e representações. SERPA, A. (Org.). Salvador: EDUFBA, 2008.

CULLEN, G. Paisagem Urbana. (trad. Isabel C. C. de Macedo) Lisboa: Arquitetura e Urbanismo, 1983.

DE PAULA, L.T. Cartografia da experiência urbana: as imagens e formas de Campinas. 2011. 123p. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

DI FELICE, M. Paisagens pós-urbanas: o fim da experiência urbana e as formas comunicativas do habitar. São Paulo: Annablume, 2009.

ELIAS, N.; SCOTSON, J. Os estabelecidos e os outsiders. 2ed. (trad. Vera Ribeiro) Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

FRÉMONT, A. A região, espaço vivido. (trad. António Gonçalves) Coimbra: Almedina, 1980. 275 p.

GIRARDI, G. A aventura da leitura de mapas. In: A aventura cartográfica: perspectivas, pesquisas e reflexões sobre a cartografia humana. SEEMANN, J. (Org.). Fortaleza: Expressão Gráfica, 2006.

HARLEY, J.B.; WOODWARD, D. (Eds.) The history of cartography: cartography in Prehistoric, Ancient, and Medieval Europe and the Mediterranean. Chicago: University of Chicago, 1987.

HOLZER, W. O método fenomenológico: humanismo e a construção de uma nova geografia. In: ROSENDAHL, Z.; CORRÊA, R. L. (Orgs.) Temas e caminhos da Geografia Cultural. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

KATUTA, A. M. A(s) natureza(s) da e na cartografia. In: SEEMANN, J. (Org.). A aventura cartográfica: perspectivas, pesquisas e reflexões sobre a cartografia humana. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2006.

LYNCH, K. A boa forma da cidade. (trad. Jorge Manuel Costa Almeida e Pinto) Lisboa: Edições 70, 2007.

LYNCH, K. A imagem da cidade. (trad. Jefferson Luiz Camargo) São Paulo: Martins Fontes, 2003.

LYNCH, K. What time is this place? Massachusetts: MIT, 1976.

MARANDOLA JR., E . Paisagem e imagem da cidade: a forma urbana de Campinas. Geografia, v. 36, p. 655-664, 2011a.

MARANDOLA JR., E. Campinas, no plural ou no singular? Imaginário e experiência urbana. In: IX REUNIÃO DE ANTROPOLOGIA DO MERCOSUL (RAM), 2011, Curitiba. Anais. Curitiba: RAM, 2011b.

MARANDOLA JR., E. Lugar enquanto circunstancialidade. In: MARANDOLA JR., E.; HOLZER, W.; OLIVEIRA, L. Qual o espaço do lugar? Geografia, Epistemologia e Fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2011c.

MARANDOLA JR., E.; MELLO, L. F. Mapeamento Comunitário, Percepção e Representação do Espaço: Metodologias para Gestão Ambiental. In: SILVA, C. (Org.) Geografia e natureza: experiências e abordagens de pesquisa. Dourados: EDUFGD, 2010.

MARTINELLI, M. Cartografia Temática: caderno de mapas. São Paulo: Edusp, 2003.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. (trad. Carlos A. R. de Moura) 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006[1945].

OLIVEIRA JUNIOR, W. M. A cidade (tele)percebida: em busca da atual imagem do urbano. 1994. 250p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

RELPH, E. A paisagem urbana moderna. Lisboa: Edições 70, 1986.

SAINT-EXUPÉRY, A. Terra dos Homens. (trad. Rubem Braga) São Paulo: Círculo do Livro, 1987.

SEEMANN, J. Metáforas espaciais na geografia: cartografias, mapas e mapeamentos. ANAIS X ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, Universidade de São Paulo, 2005.

SEEMANN, J. Cartografias culturais na geografia cultural: entre mapas da cultura e a cultura dos mapas. Boletim Goiano de Geografia. v. 21, n.2, p.61-82, jul./dez. 2001.

TOURAINE, A. Critica da modernidade. (trad. Elia Ferreira Edel) Petrópolis: Vozes, 1994.

TUAN, Y. Topofilia: um estudo das percepções, atitudes e valores do meio ambiente. (trad. Lívia de Oliveira). São Paulo: DIFEL,1980.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2012.22.a12854

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.