Fenomenologia, mundo-da-vida e crise das ciências: a necessidade de uma geografia fenomenológica / Phenomenology, life-world and crisis of sciences: the need for a phenomenological geography

Tommy Akira Goto

Resumo


O artigo tem como proposta apresentar a constituição de uma “geografia fenomenológica” a partir da crítica fenomenológica que Edmund Husserl (1859-1938) promove à ciência moderna, exposta nos seus últimos escritos denominados “A Crise das Ciências Européias e a Fenomenologia Transcendental”. Nesses escritos Husserl denuncia a crise de sentido vivida pela filosofia e ciência moderna, evidenciando o quanto o distanciamento entre as ciências e o mundo-da-vida produziu conseqüências graves, desvinculando do interior delas questões que concernem à humanidade e à sociedade. Husserl encontra como única saída para a crise a Fenomenologia Transcendental, cuja intenção é recuperar a ordem espontânea, o sentido e a orientação da existência humana, retomando o rol da subjetividade transcendental, expostas nas evidências pré-científicas e pré-lógicas do mundo-da-vida (Lebenswelt). No caso específico da geografia como ciência moderna, como argumentaria Husserl, impõe-se também a necessidade de se constituir uma nova geografia,capaz de retomar o sentido da humanidade, a partir de um saber geográfico unificado. Essa geografia recuperada pelo ideal de ciência, refundada pela fenomenologia husserliana, pode ser chamada de Geografia Fenomenológica ou uma Geografia Eidética, cujo intuito está na re-condução da reflexão aos princípios constituíntes da realidade, ou seja, a subjetividade e o mundo em sua plena correlação.


Palavras-chave


Geografia Fenomenológica, Crise das Ciências, Edmund Husserl, Fenomenologia Transcendental.

Texto completo:

PDF

Referências


GOMES-HERÁS, José M.G. El apriori Del mundo de la vida: fundamentación fenomenológica de uma ética de la ciência y de la técnica. Barcelona: Anthropos, 1989.

GOTO, Tommy A. Introdução à Psicologia Fenomenológica – A nova Psicologia de Edmund Husserl. São Paulo: Paulus, 2007.

HABERMAS, Jürgen. Conhecimento e interesse. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

HENRY, Michel. A Barbárie. São Paulo: É Realizações, 2012.

HOLZER, Werther. A Geografia Humanista: sua trajetória de 1950 a 1990. Rio de Janeiro, 1992. Dissertação (Mestrado). Departamento de pós-graduação em Geografia da UFRJ.

HUSSERL, Edmund. A Crise das Ciências Européias e a Fenomenologia Transcendental – uma introdução à filosofia fenomenologia. Forense Universitária: Rio de Janeiro, 2012.

HUSSERL, Edmund. A ingenuidade da ciência. Revista Scientia AE Studia, São Paulo, v.7, n.4, p.659-670, 2009.

HUSSERL, Edmund. Die Lebenswelt. Auslegunger der Vorgegebenem Welt und ihrer Konstitution. Texte aus dem Nachlass (1916-1937). Edited by Rochus Sowa. New York: Springer, 2008.

HUSSERL, Edmund. Ideias para uma Fenomenologia Pura e para uma Filosofia Fenomenológica. Aparecida: Ideias e Letras, 2006.

HUSSERL, Edmund. Investigações Lógicas. Investigações para a Fenomenologia e a teoria do conhecimento. Segundo Volume. Parte I. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2007.

HUSSERL, Edmund. La Tierra no se mueve. Madrid: Excerpta Philosophica, Universidade Complutense, 1995.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A Natureza. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Ciências do Homem e Fenomenologia. São Paulo: Saraiva, 1973.

MORENTE, Manuel Garcia. Fundamentos de Filosofia. Lições preliminares. São Paulo: Mestre Jou, 1930.

PICKLES, John. Phenomenology, science and geography. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.

RELPH, Edward. Place and Placelessness. London: Pion, 1976.

STEIN. Edith. La estructura de la Persona Humana. Madrid: BAC, 2003.

VÁSQUES, Guillermo Hoyos. La Fenomenologia Husserliana y el Positivismo Científico. (Estudos de Filosofia), Universidade de Antioquia, n.19-20, fevereiro-agosto 1999. Disponível em . Acesso em junho, 2011.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2013.32.a12863

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.