A fenomenologia-ontológica-estrutural de Armando Corrêa da Silva: variações sobre o tema / The ontological-structural-phenomenology of Armando Corrêa da Silva: variations on the theme

Werther Holzer

Resumo


O que proponho apresentar neste texto é um diálogo com a obra de Armando Corrêa da Silva a partir de dois textos publicados — “Fenomenologia e Geografia” e “A Aparência, o Ser e a Forma” —, além de material inédito que ele me disponibilizou por ocasião de meu ingresso como doutorando em Geografia Humana da Universidade de São Paulo. Inspirado na música, onde um tema pode ser retrabalhado em muitas variações, tomarei alguns textos e os submeterei a variações imaginárias, segundo uma intuição fenomenológica. O que pretendo desvelar é o Ser da Geografia a partir de uma leitura parcial da obra de Armando Corrêa da Silva, centrada em sua ontologia analítica. Nela a geografia é definida como ideologia do cotidiano, o ser é tomado como ideia concreta e abstrata. É na singularidade, que se relaciona à particularidade e à universalidade, que o concreto se abre ao existir, como experiência, atividade, reflexão.


Palavras-chave


Fenomenologia. Ser. Forma. Lugar

Texto completo:

PDF

Referências


SILVA, Armando Corrêa da. Fenomenologia e Geografia, Orientação, São Paulo, v. 7, p. 53-56, dez. 1986.

______. A aparência, o ser e a forma. GEOgraphia, Niterói, ano II, n. 3, p. 7-25, 2000.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2014.41.a12887

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.