Lugares no movimento: experiências estudantis na migração pendular para o Campus X - UEPA/Igarapé-Açu (PA) / Places in move: student experiences in commuting migration to the campus X - UEPA/Igarapé-Açu (PA)

Felipe Ferreira Moreira

Resumo


No município de Igarapé-Açu, Estado do Pará, está localizado o Campus X, da Universidade do Estado do Pará, para o qual, vários estudantes universitários empreendem diversos tipos de migração, entre as quais, a migração pendular. O objetivo central deste estudo foi compreender as reestruturações nos sentidos de lugar dos estudantes-migrantes em seus espaços de trânsito/enraizamento, dentro de uma dinâmica pendular diária para Igarapé-Açu. Utilizando o método fenomenológico, entrevistamos quatro estudantes-migrantes para compreender como este fenômeno migratório aponta caminhos que indicam implicações nas experiências de migrantes pendulares em meio a um cotidiano de intensa mobilidade, responsável por (re)estruturar percepções e significações sobre os sentidos dos lugares em meio ao trânsito constante. Percebemos novas rotinas e significações nas relações dos migrantes com os lugares, com as pessoas e com o próprio ato de morar, terminando por fomentar percepções de transitoriedade enquanto espacialização de instabilidades e ressignificações nas relações migrante-lugar.


Palavras-chave


Migração pendular; Estudante-Migrante; Lugar; Igarapé-Açu

Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. São Paulo: Abril Cultural, 1974 (Coleção Os Pensadores).

BANDEIRA, Manuel. Vou-me embora pra Pasárgada. In: ANDRADE, Carlos D. (Org.). Bandeira a vida inteira. Rio de Janeiro: Ed. Alumbramento, 1986. p.90.

BARBOSA, Alexandre M. Ciência e experiência: um ensaio sobre a fenomenologia do espirito de Hegel. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

BARROS, Lydia G. Tecnobrega: a legitimação de um estilo musical estigmatizado no contexto do novo paradigma da crítica musical. 2011. 226p. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco, CAC. Comunicação, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.

BUTTIMER, Anne. Lar, horizontes de alcance e o sentido de Lugar. Geograficidade, v. 5, n. 1, p. 4-19, Verão de 2015.

BRAGA, Letícia C. Caminhos pela Geografia Humanista: lugar, vulnerabilidade e fenomenologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS, 16, Porto Alegre, 25-31 de Julho de 2010. Anais do XVI Encontro Nacional de Geógrafos. Porto Alegre: AGB, 2010. p. 1-8.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico - 2010. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 13 de Setembro de 2015a.

_______. Ministério da Educação. Instituições de educação superior e cursos cadastrados. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 13 de Setembro de 2015b.

CLAVAL, Paul. A Geografia Cultural. 3. Ed. Florianópolis: Ed. UFSC, 2007.

DARTIGUES, André. O que é Fenomenologia? 32. Ed. São Paulo: Ed. Moraes, 1992.

DAL GALLO, Priscila M. A experiência de ser migrante: entre identidades e transitoriedades. 2010. 70p. Monografia (Bacharelado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

______________; MARANDOLA JR, Eduardo. O método do diário: buscando a experiência de ser migrante. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 4, n. 3, p. 173-185, UFG/IESA, Agosto de 2010.

______________. Lugar e identidade na experiência migrante: entre eventualidade e transitoriedade. Geograficidade, v. 1, n. 1, p. 44-58, Inverno de 2011.

HAESBAERT, Rogério. Hibridismo, mobilidade e multiterritorialidade numa perspectiva Geográfico-Cultural integradora. In: SERPA, Ângelo. (Org.). Espaços culturais: vivências, imaginações e representações. Salvador: EDUFBA, 2008. Epílogo, p. 393-419.

HEIDEMANN, Heinz D. Os migrantes e a crise da sociedade do trabalho: humilhação secundária, resistência e emancipação. In: Serviço Pastoral dos Migrantes (Org.). Migrações: discriminações e alternativas. São Paulo: Ed. Paulinas, 2004. Cap. 2, p. 24-39.

HOLZER, Werther. Sobre territórios e lugaridades. Cidades, v.10, n. 17, p 18-29, 2013.

ITABORAHY, Nathan Z. Imagens geográficas dos caminhos da pesquisa: confissões cotidianas espacializadas. Geograficidade, v. 3, n. 1, p. 39-49, Verão de 2013.

JARDIM, Antônio P. Algumas reflexões sobre o estudo das migrações pendulares. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE MIGRAÇÕES, 5, Campinas, 15-17 de Outubro de 2007. Mesa Redonda: Movimentos pendulares: velhos e novos significados. p. 1-15.

KONESKI, Anita P. Blanchot, Levinas e a arte do estranhamento. 2007. 236p. Tese (Doutorado em Teoria Literária) - Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Literatura, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

MARANDOLA JR, Eduardo. Habitar em risco: mobilidade e vulnerabilidade na experiência metropolitana. 2008. 278p. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 29 de Fevereiro de 2008.

_______________; DAL GALLO, P. M. Ser migrante: implicações territoriais e existenciais da migração. In: Anais do VI Encontro Nacional sobre Migrações. Belo Horizonte, 2009. Disponível em: http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/anais/outros/6encnacsobremigracoes/st3/marandola_2.pdf. Acesso em: 13 de Novembro de 2014.

MEDEIROS, Aline L. N. Tecendo geografias em viagens. 2014. 143p. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) – Instituto de Geociências, Departamento de Geografia, Universidade Federal de Minas gerais, Belo Horizonte.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 2. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

_________________. O visível e o invisível. São Paulo: Perspectiva, 2007.

MINAYO, Maria C. S. Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In:__________. (Org.). DESLANDES, Suely F.; GOMES, Romeu. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28 Ed. Petrópolis: Vozes, 2009. Cap. 3, p. 61-77.

MONDARDO, Marcos L. Estudos migratórios na modernidade e na pós-modernidade: do econômico ao cultural? Terra Livre: A Geografia no Tempo de Novos Conhecimentos, Presidente Prudente, Ano 23, v. 2, n. 29, p. 51-74, AGB, Agosto/Dezembro de 2007.

RELPH, Edward. Reflexões sobre a emergência, aspectos e essência do Lugar. In: MARANDOLA JR., Eduardo; HOLZER, Werther; OLIVEIRA, Lívia de. (Orgs.). Qual o espaço do Lugar? São Paulo: Perspectiva, 2012. p. 17-32.

SEAMON, David. Corpo-sujeito, rotinas espaço-temporais e danças-do-lugar. Geograficidade, v. 3, n. 2, p. 4-18, Inverno de 2013.

STEIN, Carlos. et.al. O astronauta de mármore. Intérprete: Nenhum de Nós. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ZmhSbgs5MCw. Acesso em: 23 de Março de 2015.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. Londrina: Eduel, 2013.

TRINDADE JR, Saint-Clair C. Cidades médias na Amazônia Oriental: das novas centralidades à fragmentação do território. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 13, n.2, p.135-151, Novembro de 2011.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2017.71.a12973

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.